No trabalho e na vida, colecionando viagens

Noeli Cruz Carlos, de 55 anos, nascida e moradora de Porto Alegre, trabalha na empresa desde 1987 e atualmente é operadora de trens. Com dois meses de vida, Noeli foi com a família morar em Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, local onde viveu até os 25 anos de idade. Lá, estudou e obteve licenciatura em matemática. Quando voltou a Porto Alegre com a família, estava à procura de emprego e um amigo sugeriu que participasse da seleção para ingressar na Trensurb.

Em julho de 1987, entrou na empresa para desempenhar a função de agente de estações, sendo esse seu primeiro emprego. Permaneceu no cargo por dois anos, até que em 1989 fez um concurso interno para tornar-se operadora de trens: “Era o que eu achava que me identificava e, realmente, foi o que eu gostei mais”, afirma sobre a função que exerce até hoje. Noeli diz que cada viagem é diferente da outra, pois nunca sabe qual será o comportamento dos usuários. Ela conta que fica encantada com o olhar das crianças para a cabine do trem, que às vezes abanam, das plataformas. No momento, ela pensa em se aposentar, já que está completando 30 anos de experiência e de Trensurb.

Viajar é algo que Noeli gosta bastante de fazer em seu tempo livre, de preferência para praias. Já foi a Maceió, capital de Alagoas; Porto Seguro, na Bahia; Ilha Grande, no Rio de Janeiro; Santos, em São Paulo, e em todas as férias retorna a Angra dos Reis, já que ainda possui uma parte da família lá. Um sonho é voltar a morar em Angra. Pretende, ainda, visitar as praias do Espírito Santo, que conhece apenas por fotos da internet. Desde que voltou ao Rio Grande do Sul, alimentava o desejo de conhecer a região das Missões, sonho realizado no ano de 2015, ao viajar para a cidade de São Miguel das Missões, com seu marido Mario José Dias – também operador de trens na Trensurb.

Noeli também gosta de assistir filmes e séries, principalmente as de investigação, como CSI (Crime Scene Investigation, premiada série dramática americana), passar o tempo com a família e, sempre que possível, almoçar, tomar café e jantar com seus familiares.

Sobre a Trensurb, Noeli lembra de quando iniciou sua carreira e destaca: “Fui muito bem recebida na empresa, os colegas colaboraram bastante comigo por ser meu primeiro emprego, pois eu não tinha experiência nenhuma. Se cheguei até aqui, foi graças ao apoio deles”. Se a experiência veio das atividades diárias e dos ensinamentos dos colegas, hoje é ela quem dá apoio e ajuda os novos operadores na Trensurb. Afinal, são quase três décadas transportando inúmeras histórias pelos trilhos.

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *