Das salas de aula para o metrô

Simone Rodrigues, 45 anos, é natural de São Paulo e trabalha há oito anos como agente metroviária da Trensurb, na função de operação de estações, atuando principalmente na bilheteria e na assistência aos usuários. Graduada em letras pela Universidade Guarulhos, Simone conta que conheceu o marido Carlos Alberto, gaúcho, durante a faculdade. Foi ele quem propôs que viessem morar no Rio Grande do Sul.

Antes de trabalhar na Trensurb, Simone era professora em uma escola em Canoas. No entanto, ela sentia que não tinha a didática necessária para ensinar, então decidiu prestar concurso público. Como havia considerado difícil a prova para a Trensurb e estava esperando o resultado de outro concurso, não acompanhou as etapas seguintes da seleção para ingressar na empresa. Um dia, enquanto dava aula, recebeu uma mensagem de seu filho, Guilherme, dizendo que a Trensurb havia entrado em contato e solicitava que ela comparecesse à sede administrativa para dar início ao processo de admissão. Simone conta que duvidou inicialmente, pois o filho é muito brincalhão. Resolveu tirar a dúvida quando chegou à Estação Niterói, onde costumava embarcar, e perguntou a um agente metroviário se sabia se a empresa estava convocando os classificados do último concurso. Diante da resposta positiva, acabou dando início à sua história na Trensurb.

Leia mais →

Artur Colombo

Organização e controle

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com cerca de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho do Setor de Materiais (Semat):

Quem faz? O setor subordina-se, na ordem, à Gerência de Suprimentos e Apoio (Gesup) e à Diretoria de Administração e Finanças (Diraf). O quadro é de quinze empregados e dois estagiários no setor.

O que faz? É responsável pela programação, planejamento, controle e armazenagem do estoque de suprimentos de uso das diversas áreas da empresa, desde materiais de escritório até peças para a manutenção dos trens. São aproximadamente 17 mil itens cadastrados no SEMAT. A principais atividades são:

controle de tempo médio para reposição do material para estocagem;

emissão de Projetos Básicos de materiais de consumo mais frequente e de maiores valores financeiros, visando otimizar o melhor possível o orçamento disponível;

emissão de requisição de compras;

recebimento de materiais;

controle de qualidade e análise física e inicial do material recebido;

armazenagem do material recebido de acordo com a natureza e característica do item;

liberação do material de acordo com a previsão da UO.

Como faz? Através do sistema AX Dynamics e também de planilhas eletrônicas, verificando a o consumo realizado, estoque existente e previsão das UOs, cruzando com a programação de compra. Os maiores “clientes” do SEMAT, são:

SEOFI (Setor de Oficina);

SENERG (Setor de Energia);

SESIN (Setor de Sinalização);

SEVIP (Setor de Via Permanente e

CDM (Coord. Desenvolvimento de Manutenção – (AEROMOVEL)

Onde fica? O prédio fica localizado ao lado da portaria de veículos, próximo à Estação Anchieta.

Cuidando das estações e dos usuários do metrô

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com cerca de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho do Setor de Operações (Seope).

Quem faz? O setor conta com mais de 450 profissionais, sendo o mais numeroso e abrangente da Trensurb. Todos os empregados da operação das estações e da segurança respondem ao Seope.

O que faz?  Ao maior setor da empresa, cabe também uma grande gama de atividades. Entre as principais, estão operação de estações, segurança operacional, atendimento ao usuário, venda de passagens e acompanhamento das atividades realizadas em todas as 22 estações do sistema metroviário, mais a Estação Salgado Filho, do aeromóvel.

Leia mais →

Romances no trem

Para celebrar o amor e o Dia dos Namorados, a Trensurb pediu depoimentos de casais que tiveram o metrô como cenário de suas histórias e divulgou alguns relatos em sua página no Facebook no último dia 12. Compilamos aqui as histórias divulgadas no Facebook e algumas outras.

Henrique e Ana Paula

O Henrique, 18 anos, e a Ana Paula, 24, faziam parte de um mesmo grupo no Facebook, com o objetivo de conhecer pessoas. Ele nunca a chamou para conversar, mas tentava demonstrar seu interesse a partir de “curtidas” na rede social. Depois de inúmeras curtidas, mas nenhum “oi”, Ana decidiu chamá-lo no bate-papo. Conversa vai, conversa vem, um encontro foi marcado na Estação Canoas, no dia 24 de dezembro.

Ela diz que se apaixonaram ali mesmo, na estação. Mais tarde, na casa de amigos para comemorar a passagem do Natal, aconteceu o primeiro beijo. Prestes a completar seis meses juntos, eles utilizam o trem para comemorar os meses de namoro. Como o próprio Henrique diz: “Por que não comemorar onde tudo começou?”.

Leia mais →

Foto Kauê Menezes

A linha do tempo do Aeromovel

Foto Kauê Menezes

Foto: Kauê Menezes

Em breve o Aeromovel vai ser uma realidade para quem precisa se deslocar até o Aeroporto Salgado Filho com praticidade. A história desse veículo teve início em 1977, em São Leopoldo.

Você sabia disso? Não? Então está precisando dar uma volta na Estação Aeroporto. Lá está exposta a linha do tempo desta invenção 100% nacional, contando a história do seu surgimento até os dias de hoje.

aeromovelaeromovel2

 

  • Entenda melhor essa super máquina:

O Aeromovel utiliza veículos leves não motorizados e movidos com propulsão a ar, que é soprado por ventiladores de alta potência através de um duto localizado no interior da via elevada. O vento empurra a aleta, uma peça semelhante a uma vela de barco, que movimenta o veículo sobre os trilhos.