Sorriso constante

Antonio Remi de Oliveira Rodrigues ou apenas Remi, como é conhecido, tem 60 anos, nasceu em Cacequi, interior do estado, e mora em Sapucaia do Sul. É agente metroviário de estações na Trensurb, onde trabalha há mais de 32 anos. Sua história na empresa começava em 1984, quando atuou como segurança nas obras de implantação do sistema metroviário, cuidando do maquinário de construção das estações. E em 14 de fevereiro de 1985, entrava de vez para a equipe da Trensurb.

Começou como artífice de linha no Setor de Via Permanente, onde permaneceu até 2000 – com um hiato entre 1990 e 1999, quando esteve fora da empresa. Em setembro de 2000, passou a fazer parte do Setor de Operações, como agente de estações, na Estação Sapucaia. Após a inauguração das estações em Novo Hamburgo, Remi passou a atuar na Estação Industrial/Tintas Killing, onde trabalha na maioria dos dias. Estava destinado a passar uma vida toda próximo aos trilhos, conforme ele conta: “Sou filho de ferroviário, nasci em cima da linha, no interior de Cacequi, e hoje sou metroviário aqui na Trensurb. Nasci e vivi em cima dos trilhos”.

Fora da empresa, Remi ministra a palavra em cultos evangélicos e canta louvores, possuindo inclusive CD lançado. Seu sonho é viajar para fora do país, sempre “em prol da obra de Deus”. Já visitou países vizinhos como Uruguai e Argentina, mas deseja “espalhar a palavra” em grandes centros mundiais, como Nova York, nos Estados Unidos. Seu hobby são os automóveis. Gosta muito de dirigir e ler sobre carros.

Para Remi, os diferenciais da Trensurb são a confiança que os colegas têm entre si, a simplicidade de comunicação entre empregados e chefes, assim como a liberdade na execução das tarefas do dia a dia. “O ambiente familiar que temos aqui, de coleguismo, contribui para que nunca fiquemos de mau humor ou de birra uns com os outros”, declara. Sobre o que mais gosta dentre as atividades exercidas, ele é claro: “Minha satisfação é prestar um bom atendimento, gosto de trabalhar com o público. Chego aqui já com alegria, não importa como eu estiver lá fora, quando eu chego aqui dentro, muda. Porque eu gosto de atender bem o usuário, com satisfação, alegria, e eles têm esse retorno comigo. O próprio usuário percebe a atenção e agradece. Alguns até me chamam de ‘funcionário sorriso’, porque estou sempre sorrindo!”. Ele espera seguir assim, com atitudes singelas, sorrindo e fazendo as pessoas sorrirem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *