O metroviário que ajudou a construir a Trensurb

Luiz Alberto Silva Bastos, 62 anos, é natural de Bagé e trabalha há 34 anos na Trensurb. Hoje, atua no Setor de Sinalização, no turno da noite, fazendo a manutenção das câmeras de segurança. Ele saiu da cidade natal em busca de oportunidades e encontrou na Trensurb a chance de crescimento profissional: “Vim pra Porto Alegre porque Bagé é uma cidade da fronteira onde o emprego era meio complicado, então, em 1978, fui pra Rio Grande e de lá vim pra Porto Alegre, onde ingressei na Trensurb”. Luiz conta com orgulho que, em 1984, aos 28 anos, foi aprovado no processo seletivo da empresa.

Mas a história dele na Trensurb começou antes mesmo disso: durante quatro anos, por meio de uma empresa contratada, Luiz trabalhou nas obras de grande parte das estações construídas na época da implantação do sistema e também na construção do prédio administrativo. “Ingressei nas obras das estações da Trensurb e depois participei da construção do prédio da empresa, onde não existia nada, só um banhado”, relembra. “Sinto muito orgulho de ter ajudado na construção da empresa”, declara Luiz.

O empregado relata que também já atuou no Setor de Oficina e passou 25 anos no antigo Setor de Manutenção e Obras. Segundo ele, no passado, fazia trabalhos bem mais pesados do que realiza atualmente. “Hoje, o serviço é bem mais leve e somos só três pessoas, então é mais fácil de resolver os problemas e nós encaixamos melhor”, afirma. O fato de atualmente trabalhar à noite também agrada Luiz, que diz preferir o serviço noturno.

O metroviário se diz apaixonado por natureza e, no tempo livre, gosta de cuidar de sua chácara, conquistada, conforme ele, depois de muitos anos de trabalho. “Natureza pra mim é tudo de bom. Tenho uma chácara na costa do rio, onde vou uma vez por mês pagar o caseiro”, relata. Ele conta que, na propriedade, cria vários animais, entre eles gado, perus, gansos e cavalos.

Sobre a família, Luiz revela que tem um casal de filhos e que a filha tinha apenas um ano quando ele começou a trabalhar na Trensurb. Atualmente aposentado, mas ainda trabalhando, o metroviário se diz muito grato por tudo o que a empresa o ajudou a conquistar. “Graças a Deus, ingressei na Trensurb e estou aqui até hoje, aposentado há dois anos, mas me sinto um guri ainda pra trabalhar”.

Ao ser questionado sobre um sonho, Luiz destaca que, depois de tantos anos de trabalho, ainda gosta do que faz. “A Trensurb foi uma benção na minha vida, sempre gostei da empresa e de todas as funções que realizei aqui dentro”, declara. “Agora o que desejo é que Deus me dê saúde para poder continuar trabalhando e conseguir aproveitar minha família e minha chácara”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *