Novo Hamburgo: 89 anos e uma conexão histórica ao transporte sobre trilhos

A cidade de Novo Hamburgo é conhecida como a Capital Nacional do Calçado. Anualmente, os pavilhões do Centro de Eventos e Negócios Fenac recebem feiras do setor de calçados. Desde 2014, com o início da operação comercial na Estação Fenac, a Trensurb facilita o acesso a esses eventos. Nesta semana, o município completa 89 anos, repleto de histórias da colonização alemã e origens marcadas pela construção de ferrovias.

Os imigrantes alemães começaram a chegar na região de São Leopoldo em 25 de Julho de 1824. Logo, uma sociedade rural se estabeleceu na região do Vale do Sinos. Rapidamente, também surgiram pequenos núcleos urbanos nas colônias. Um deles ficava na área de Hamburger-Berg (que hoje é o bairro Hamburgo Velho), a partir de onde se originou a Novo Hamburgo atual.

Segundo o site Estações Ferroviárias do Brasil, a Estação Ferroviária de Novo Hamburgo foi aberta no início de 1876, no prolongamento da ferrovia Porto Alegre-São Leopoldo. A localidade, deserta, ficava antes do povoado de Hamburger-Berg, uma das vilas da região então chamada de Mundo Novo. Os povoados da região desenvolveram-se e Novo Hamburgo concretizou sua emancipação política em 5 de abril de 1927. A ferrovia expandiu-se além do município, chegando até Taquara (1903) e Canela (1922). Até 1966, todos esses trechos foram desativados.

Expansão do metrô até Novo Hamburgo

Décadas depois, com a expansão da Linha 1 do metrô até Novo Hamburgo, a Trensurb retomou a história de transporte sobre trilhos na região, que havia sido (e voltou a ser) fundamental para a mobilidade e o desenvolvimento locais. A execução do empreendimento também representou a concretização do projeto original do metrô gaúcho, concebido nos anos 1970 pelo Grupo de Estudos para a Integração da Política de Transportes do governo federal, que já previa a ligação metroferroviária entre a capital gaúcha e a capital do calçado.

Com extensão de 9,3 quilômetros em elevado, a expansão abrangeu cinco estações com acessibilidade universal – Rio dos Sinos (em São Leopoldo) e Santo Afonso (em Novo Hamburgo), inauguradas em 2012, e Industrial, Fenac e Novo Hamburgo (todas em Novo Hamburgo), que iniciaram operação comercial em 2014. O projeto teve um investimento de R$ 953 milhões e, além dos ganhos em mobilidade, trouxe serviços complementares como a canalização do Arroio Luiz Rau, a execução de uma ciclovia e de um novo sistema viário ligando São Leopoldo e Novo Hamburgo.

Hoje, a Estação Novo Hamburgo, no coração do município, é a oitava mais movimentada do metrô. Lá embarcam e desembarcam quase 20 mil pessoas a cada dia. Somente em 2015, foram 3,33 milhões de embarques no terminal. Nas quatro estações hamburguenses do metrô, no ano passado, foram 5,57 milhões de embarques.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *