Mecânico, pescador, agricultor e viajante

Jorge Roberto dos Santos Mortágua, de 53 anos, assistente de serviços da Trensurb, é pai de quatro filhos. Wagner, Igor, Franci e Katriel. Tem também duas netas, Alichia, de sete anos, e Ana Julia, de nove. Mortágua, como é conhecido na empresa, trabalha na Coordenação de Desenvolvimento de Manutenção (CDM) do aeromóvel, auxiliando e efetuando serviços de manutenção no sistema.

Quando questionado sobre sua função na empresa, brinca: “Nem sei mais qual função é a minha, já passei por tantas. Só sei que, no momento, sou responsável pela manutenção do aeromóvel”. Antes de trabalhar no CDM, ele passou por vários outras áreas, como o Setor de Operações, os antigos setores de Manutenção Leve e de Manutenção e Obras e, por último, o Setor de Apoio. Na empresa há 28 anos, recém completados no dia 20 de outubro, ele conta que trabalhou em alguns lugares antes de ingressar na Trensurb, como em uma oficina mecânica: “Em Pelotas, atuei como mecânico em uma oficina, onde arrumávamos carros, caminhões e diversos outros veículos”.

Mortágua afirma ser adepto da vida campeira e em suas horas vagas gosta de estar nesse meio. Embora more e trabalhe na cidade, ele passa bastante tempo exercendo atividades que combinam mais com o interior: “Aprecio bastante esse tipo de vida, passo meu tempo, sempre que posso, caçando, frequentando rodeios e também pescando”. O assistente, um tanto tímido, conta também sobre seu “projeto de motor home” como ele mesmo denomina: “É um ônibus velho que resolvi reformar. Tem banheiro, pia, beliche, geladeira, mesa e outros móveis”. “Utilizo ele para viajar, já fui para Quaraí, Joinville e por último para o Uruguai”, relata. Mortágua e alguns colegas da empresa fizeram a viagem para o Uruguai com intenção de pescar. Contudo, como ele afirma, “foi mais só pela viagem, mesmo”, afinal, chegando ao rio em cujas margens se instalariam, constataram que estava cheio demais, sem possibilidade de pesca.

Outro de seus hobbies/especialidades é o cultivo de diversas plantas. No pátio da empresa, há uma pequena horta onde se pode observar vários pés de alface plantados. O responsável pela plantação é Mortágua. “Em todos os setores que trabalhei, sempre plantei e cuidei de algum tipo de vegetal”, conta. Quando questionado se os colegas gostavam, a resposta dentro da sala, que estava cheia, foi unânime: “na hora de colher o pessoal gosta”. Próximo da aposentadoria, o assistente afirma gostar muito de trabalhar na Trensurb, contudo, após ter a documentação necessária, deve aposentar-se e, posteriormente, mudar-se para o sítio que possui no interior. “Vou me mudar para a beira do rio, aproveitar bastante, viajar muito e descansar”, declara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *