Mantendo o aeromóvel nos trilhos

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com mais de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho da Coordenação de Desenvolvimento de Manutenção (CDM).

Quem faz? A equipe da CDM conta com dez pessoas: técnicos mecânicos, em eletrônica e eletrotécnicos, além de assistentes de serviços gerais. A unidade está subordinada ao Centro de Desenvolvimento Operacional aplicado à Tecnologia Aeromóvel (Cedaer) e à Superintendência de Desenvolvimento e Expansão (Sudex).

O que faz? Dá assistência de manutenção às diversas partes que compõem a conexão metrô-aeroporto via tecnologia aeromóvel: veículos A100 e A200, grupos motopropulsores, via permanente, compressores, grupo gerador, subestação de energia, dutos de ar e via elevada. Segundo o técnico Sérgio Luís Russo, o trabalho da unidade organizacional consiste, basicamente, em “manter o sistema em funcionamento, fazendo a conexão do trem ao aeroporto, facilitando o deslocamento dos usuários do metrô”. A área recebe demandas da Sudex, do Cedaer e das coordenações de Desenvolvimento de Projetos, Estudos e Pesquisas (CDP) e de Desenvolvimento Operacional (CDO) do aeromóvel.

Como faz? A programação de atividades de manutenção preventiva e corretiva é controlada por tempo (hora trabalhada do equipamento) e quilometragem. A manutenção corretiva é necessária quando existe uma falha. Nesse caso, a equipe vai até os veículos ou instalações para fazer a avaliação e então solucionar o problema. Já a preventiva é feita justamente para evitar que ocorram falhas no sistema.

O coordenador Diego Fernando da Silva conta que o trabalho da unidade é desenvolver, planejar e executar a manutenção dos sistemas eletroeletrônicos e automatizados que envolvem a tecnologia aeromóvel. “A cada dia são descobertas novas informações que devem ser avaliadas e consideradas, já que temos o papel de não somente executar, mas também de criar todo um processo de manutenção de uma tecnologia totalmente nova e desafiadora”, afirma Diego.

“Diferentemente dos demais setores de manutenção da Trensurb, nós temos que ser desenvolvedores, implementadores e executantes de um processo de manutenção que estamos criando, modificando e melhorando a cada dia”, explica Sérgio Luís Russo. “Desde a criação da CDM, grandes melhorias foram feitas para garantir a continuidade operacional dos veículos A100 e A200 e sistemas envolvidos”, relata.

Onde fica? Localizada no pátio da Trensurb, em Porto Alegre, no bairro Humaitá, em área próxima à Estação Aeroporto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *