Mantendo a Trensurb nos trilhos

Vinícius Link, de 35 anos, nascido e morador de Porto Alegre, é supervisor de manutenção leve no Setor de Oficina (Seofi) da Trensurb desde 2015. Vinícius começou sua carreira profissional no comércio, atuando como vendedor por dez anos. Porém, antes da Copa do Mundo no Brasil, em 2014, enxergou outras possibilidades entre as vagas que surgiriam. Fez um curso técnico de eletrotécnica e passou a trabalhar com manutenção predial em shoppings da capital, exercendo cargos de auxiliar de elétrica, eletricista e supervisor de equipe, até prestar concurso para ser técnico metroviário na Trensurb, em 2012.

“O que me atraiu para eletrotécnica na verdade foi a parte de projetos, de desenvolvimento de cabos, projeto elétrico de casas e de prédios”, afirma Vinícius a respeito da escolha da área na qual já trabalha há quatro anos. “Acabei vendo o projeto de um amigo, me inscrevi na escola e gostei muito da área. Só que acabei não me encaminhando muito para o lado de projetos, a vida foi me levando para outros lados, acabei na parte da manutenção predial”, relata.

Quando não está trabalhando, Vinícius gosta de tomar chimarrão com a família – é casado e tem um filho de nove meses – e fazer churrasco com os amigos. Também gosta de sair à noite, ir a shows musicais e viajar. Já visitou a serra gaúcha, a cidade do Rio de Janeiro e Porto Seguro, na Bahia. Pretende voltar ao Nordeste para conhecer Morro de São Paulo (também na Bahia) e Porto de Galinhas, em Pernambuco. O técnico metroviário é fã de filmes e séries de terror, suspense e ação, e costuma ir bastante a cinemas e teatros. Entre suas produções preferidas estão A Bruxa, Dexter e a série de filmes Missão Impossível. Ler livros voltados ao espiritismo também está entre seus passatempos. Segundo Vinícius, um sonho que ainda possui é comprar uma casa e morar na praia.

Quanto ao setor em que trabalha, ele afirma que não há “rotina”: “É muito difícil um dia ser igual ao outro, cada dia tem uma coisa nova para fazer e aprender”. Ele ainda completa: “Nós nunca sabemos o que vai acontecer, nós estamos aqui de plantão, de apoio para solucionar falhas e defeitos nos trens e liberá-los para operação”. O técnico afirma que todos os empregados são muito receptivos e unidos, tendo franqueza para dividir experiências. Trabalham como engrenagens de uma máquina, todos têm a sua importância. Para o futuro, Vinícius espera se estabilizar na empresa, sempre almejando ascender profissionalmente e contribuir com a manutenção do bom funcionamento da Trensurb.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *