Mais uma vez, trem foi o meio mais eficiente para se chegar à Expointer

Ano após ano, o metrô segue sendo uma das principais opções de deslocamento para quem visita a Expointer. A Estação Esteio da Trensurb fica ao lado do Parque de Exposições Assis Brasil, que sedia a feira. Durante a edição deste ano, realizada de 24 de agosto a 1º de setembro, 1.266.238 passageiros utilizaram o sistema metroviário. Isso corresponde a um acréscimo de 138.261 (ou 12,26%) usuários em relação à média em período similar deste ano. Conversamos com alguns visitantes do evento, que nos falaram de suas experiências ao embarcar no trem para ir até o Parque Assis Brasil.

Após alguns anos sem ir à Expointer, a promotora de eventos Ana Patrícia Leandro, 38 anos, moradora de Triunfo, resolveu levar as três filhas para conhecer o evento. “Eu acho muito legal porque é como se fosse uma cidade dentro da outra”, diz ela sobre a feira, citando também a grande quantidade de atrações e de pessoas que encontra na Expointer. Sua filha caçula, Janaína, de quatro anos, tem necessidades especiais. “Para ela, que não consegue brincar, passear sempre é muito bom”, comenta Ana. Sobre o transporte oferecido pela Trensurb, afirma: “O serviço é excelente, ainda mais que eu tenho uma filha na cadeira de rodas, eles [os agentes da segurança] ajudam, sobem e descem ela”.

Flávio Albim, 53 anos, é jornalista na revista Rural e faz a cobertura do evento desde 1990. “Para a área da pecuária é uma feira muito representativa, sobretudo para a região sul e sudeste”, explica. Flávio e os colegas Bruno Zanholo e Vitor Albim, estão hospedados próximo à Estação Farrapos. Dentre carros alugados, ônibus e outros meios de transporte utilizados nesses anos de cobertura de Expointer, a Trensurb tem oferecido o modo mais eficiente de se chegar ao Parque Assis Brasil: “É muito rápido, conseguimos planejar um tempo de chegada no parque”.

Diórgenes Carboni, 28 anos, é engenheiro agrônomo e acompanha a feira há aproximadamente oito anos. “Tem melhorado, tanto na questão da agricultura familiar quanto em palestras acessíveis ao público”, diz ele sobre a Expointer. Diórgenes prefere deslocar-se por meio do sistema metroviário, devido a sua rapidez e praticidade, além do fato de evitar complicações no trânsito.

Décio Ely, 65 anos, ficou mais de uma década sem visitar o evento. Junto à esposa Agnésia, resolveu retornar à feira para apresentá-la ao neto de 4 anos, Gabriel, que adora animais. O casal reside em São Leopoldo e vê o trem como um transporte de fácil acesso para passeios como esse: “Se vem mais tranquilo do que de carro, gostamos de vir de trem por ser mais cômodo”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *