Facilitando o troco

O metrô é local de passagem para os usuários, o meio para chegar a outro lugar. Indo trabalhar, estudar ou passear, diversas pessoas passam rapidamente pelas bilheterias. Na hora de comprar a passagem, a história se repete: “Não tem trocado? Não tem moedas?”, questiona o agente metroviário. A maioria dos passageiros, nesse momento, percebe que só possui notas e essa situação repete-se ao longo do dia. “Essa é uma grande dificuldade que temos na operação, poucas pessoas facilitam o troco trazendo moedas”, explica o Gerente de Operações da Trensurb, Carlos André da Silva. Pensando nisso, a empresa lançou mais uma etapa da campanha Facilite o troco.

Sophia, que ganhou do pai, Luis Pujol, um papercraft obtido na campanha da empresa

Desde 9 de janeiro, a Trensurb oferece um incentivo à troca de moedas nas bilheterias: quem leva R$ 3 em moedas de R$ 0,05 e R$ 0,10 para trocar pelo mesmo valor em notas e moedas maiores recebe um papercraft (modelo montável de papel) do trem série 200. O material é entregue normalmente a participantes do Programa Futuro Usuário. A troca é realizada nas bilheterias das estações Mercado, Canoas, Esteio, Sapucaia, São Leopoldo e Novo Hamburgo, nos dias úteis, das 8h às 17h.

Segundo informações do portal G1, o Banco Central vem, desde 2013, reduzindo a produção de moedas, em função de corte de custos. Para Carlos André, essa medida requer que as pessoas não guardem moedas e as façam circular. “Além da troca de moedas por notas para ganhar o papercraft, também queremos estimular as pessoas a pagarem com moedas as passagens do metrô”, diz.

Divulgação e engajamento

Edição 407 do jornal-mural Notícia na Linha

A Trensurb divulga a campanha através dos canais de comunicação da empresa. Postagens nas redes sociais renderam engajamento e respostas do público, como é o caso de Luis Pujol. Ele é usuário do metrô e diariamente faz o trajeto entre as estações Sapucaia e Mercado. Entusiasmado com a campanha, fez a troca de moedas pelo papercraft para sua filha, Sophia, e publicou a foto dela em seu perfil no Twitter. “Ela ficou muito feliz com o papercraft, troquei as moedas especialmente para conseguir um trenzinho para ela brincar, pois usualmente utilizo os cartões eletrônicos e não costumo recarregá-los na bilheteria”, relata.

Além da divulgação nos perfis da Trensurb nas redes sociais, a campanha conta com vídeo na TV Minuto, cartazes para as estações e a edição de fevereiro do jornal-mural Notícia na Linha.

Bons resultados

Janete Cavalini e Carlos Santos, funcionários da CatSul, que disponibilizou R$ 200 em moedas para troca na bilheteria do metrô

Em poucos dias de campanha já houve uma grande troca de moedas. Usuária do trem, Janete Cavalini viu cartazes sobre facilitar o troco e prontamente divulgou entre seus colegas de trabalho. Ela trabalha na bilheteria da empresa CatSul, que oferece transporte por via fluvial entre Porto Alegre e Guaíba. “Utilizo o trem diariamente e sempre quis contribuir com a Trensurb de alguma forma”, declara. O supervisor de Janete liberou então seus funcionários para fazerem a troca de moedas que já estavam acumuladas na empresa. Carlos Daniel Santos e Letícia Caraves, da Catsul, levaram R$ 200 em moedas de R$ 0,05 e R$ 0,10 e trocaram por papercrafts na Estação Mercado.

Márcia Souza, empregada da Trensurb que trocou moedas e pegou seu papercraft

Segundo o chefe do Setor de Operações, Jorge Venâncio da Silveira, a campanha está fazendo sucesso. “Mais de 500 papercrafts já foram distribuídos em troca de moedas nas estações”, destaca. Ele relata ainda que, graças à iniciativa, os problemas de troco nas bilheterias não têm mais ocorrido.

A campanha também está sendo divulgada internamente na Trensurb. Empregados, contratados e estagiários podem trocar suas moedas por papercrafts. Márcia Griebeler Souza, do Setor de Pessoal, é uma das metroviárias que já trocou suas moedas pelo trenzinho montável. “Quis ajudar com essa campanha, pois a ideia é interessante e fazer as moedas circularem é muito importante”, afirma.

Bilheteria expressa

Também com o objetivo de arrecadar mais moedas, além de agilizar o atendimento, a Trensurb está disponibilizando aos usuários, de forma experimental, uma bilheteria expressa que aceita somente o valor exato da passagem – R$ 1,70. A experiência ocorre, inicialmente, na Estação Mercado, a mais movimentada do sistema, em horários de maior fluxo.

Passagem antecipada

“É necessário arrecadarmos moedas nas bilheterias, porém, o ideal seria que todos os usuários utilizassem o cartão SIM Passagem Antecipada”, explica o gerente Carlos André. Os créditos do cartão podem ser carregados pelo usuário conforme necessidade, fazendo com que ele não tenha que enfrentar filas para comprar sua passagem diariamente. As vantagens do cartão de passagem antecipada também incluem os descontos nas linhas de ônibus integradas de Porto Alegre e Canoas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *