Entrevista: Vila dos Ferroviários em Porto Alegre – uma experiência documental

Até 30 de setembro, a Biblioteca Livros sobre Trilhos, na plataforma da Estação Mercado, recebe a exposição fotográfica Vila dos Ferroviários em Porto Alegre – uma experiência documental, que traz fragmentos de pesquisa desenvolvida no curso de tecnologia em fotografia da Ulbra Canoas.

O objetivo do trabalho foi desenvolver uma descrição da vila por meio da fotoetnografia, buscando provocar o debate em torno das memórias do local e do patrimônio cultural dos habitantes. Os painéis na Biblioteca apresentam parte da pesquisa, contando com imagens do Grêmio Esportivo Ferrinho, da vila e seus moradores. O espaço cultural que abriga a mostra funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h.

Leia a seguir uma entrevista com a professora que coordenou o trabalho de pesquisa e fotografia, Alice Bemvenuti.

Quando surgiu o interesse pela Vila dos Ferroviários?

Em 2009. Procurei o senhor Hélio [Bueno] para conhecer o Grêmio Esportivo Ferrinho, pois havia uma indicação de que ele era uma pessoa muito importante para a história ferroviária. Em 2012, eu comecei a pesquisa com o grupo da Ulbra e, desde então, a pesquisa é feita anualmente e, a cada ano, a pesquisa foca determinado tema, pois são diversos assuntos que podem ser abordados.

O que os alunos pensam sobre a pesquisa?

Quando os alunos começam, não sabem nada sobre a ferrovia, é tudo novidade. Conforme anda a pesquisa, eles começam a se dar conta que possuem até familiares ferroviários e, assim, acabam agregando ainda mais ao trabalho, trazendo, muitas vezes, informações de pessoas próximas que foram ou que são ferroviários.

Qual a importância da pesquisa para a sociedade e para os ferroviários?

Hoje, penso que com a exposição inauguramos um acesso à memória que, talvez, a Trensurb e a sociedade careçam e, com a mostra estando aqui, porventura seja suprida essa carência, sendo importante para a Trensurb, para a população e, inclusive, para o Grêmio Esportivo Ferrinho, nosso principal apoiador.

Qual o teu pensamento sobre a exposição feita dentro das dependências da Trensurb?

Acho uma iniciativa muito legal. Penso que seja fundamental, tudo de bom. Acredito que a exposição vá gerar diversos frutos e, quem sabe, possamos pensar em algo mais permanente sobre a história do mundo ferroviário dentro dos espaços da Trensurb.

O que tu pensa sobre a relação da Trensurb com a cultura?

A Trensurb tem avançado a passos largos quando o assunto é ocupação de espaços culturais e tem feito isso com muita competência. Eu tive a oportunidade me aproximar da empresa enquanto estive como diretora do Museu do Trem, de 2009 a 2012, e percebi o valor que a entidade dá para ações desse tipo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *