Entrevista: Jander Rama e o Aero-Trem Submarino na Galeria Mario Quintana

Em exposição na Galeria Mario Quintana, no túnel de acesso às plataformas da Estação Mercado da Trensurb, em Porto Alegre, encontra-se o trabalho do artista Vander Rama, Aero-Trem Submarino – Estudo para ligação entre Porto Alegre, Guaíba e Eldorado do Sul. Apresentando um meio de transporte fictício e futurístico, Jander terá sua obra exposta até 3 de janeiro de 2016. Leia a seguir nossa entrevista com o artista visual.

Como tu iniciaste a tua carreira como artista?

Comecei como técnico em informática industrial e, posteriormente, iniciei o curso de engenharia mecânica na UFRGS, mas, antes de terminar vi que preferia mais a parte gráfica, gostava mais de apreciar o visual das máquinas e não só os mecanismos. Logo, mudei o curso para artes visuais, na mesma universidade, onde me formei, fiz o mestrado e agora estou cursando o doutorado em poéticas visuais.

Como tu conseguiste criar um projeto que, mesmo sendo fictício, é tão detalhado e técnico?

Acredito que meus conhecimentos técnicos nas diversas áreas em que atuei foram fundamentais para o êxito do projeto. Também conversei com engenheiros, tive acesso a projetos de trens, do aeromóvel e conversei com um pessoal da marinha e da aeronáutica. Resumindo, o trabalho é o resultado de muita pesquisa.

De onde veio a inspiração para esse trabalho?

Enquanto fazia o mestrado, me deparei com muitos materiais enquanto desenvolvia desenhos técnicos e projetos. Dentre eles, encontrei um projeto russo, que tinha o objetivo de criar um submarino misturado com uma aeronave. Não utilizei na época do mestrado, mas guardei a ideia. Como eu usava o trem todos os dias, ficava imaginando como seria prático se não precisássemos ficar mudando de veículo para chegar a um destino. Foi daí que a ideia surgiu.

Quais as principais exposições que tu fez? E os prêmios?

Já expus trabalhos na Europa, ganhei o Prêmio Açorianos de Artes Plásticas em 2014 na categoria Destaque em Gravura, o Prêmio de Incentivo a Artes Visuais do Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVi), além de estar concorrendo este ano, novamente, ao Prêmio Açorianos de Artes Plásticas.

Como foi receber o convite para expor na galeria?

Achei muito propício, afinal já tinha essa ideia. Queria arrumar uma maneira de expor, contudo, não sabia onde o faria. Quando recebi o convite da Trensurb, achei fantástico, tudo se encaixou. Admiro bastante as inciativas culturais da empresa, ainda mais que o meu objetivo é criar uma arte democrática, pra todos. Não existiria melhor lugar para isso do que aqui.

One Comment

Deixe uma resposta para Felipe Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *