Dos trilhos para as telas

Duas mulheres com uma longa rivalidade. Esse embate é levado ao extremo quando, na noite em que ambas dão à luz, um crime ocorre no hospital. Esse crime modificará a vida de muitos personagens. Essa é a trama central da série Juízo Final, que conta em seu elenco com o operador de trens Kauê Santos, da Trensurb.

Kauê tem 32 anos, é morador de Porto Alegre e trabalha na Trensurb desde 2008. Ele iniciou atuando como agente metroviário na Estação Mercado, onde explica que teve a oportunidade de ter contato com uma variedade de pessoas e que esse contato o ajudou no teatro. A ideia de trabalhar como ator surgiu de amigos, conta Kauê. Cerca de seis anos após ser aprovado num concurso interno realizado em 2010, para tornar-se operador de trens, o metroviário afastou-se do trabalho por conta de uma depressão. Depois de muita insistência de amigos, que destacavam sua personalidade extrovertida, resolveu começar a fazer aulas de teatro no início do ano passado. Já nos primeiros dias apaixonou-se por atuar.

Kauê afirma que as aulas ajudaram-no a recuperar-se do quadro de depressão e retornar ao trabalho na Trensurb. Ainda em 2017, já recuperado e de volta à empresa, ele conheceu a série Juízo Final através do Facebook. “Comentei com eles pelo chat que queria ver o trabalho pronto e prestigiar o audiovisual gaúcho”, conta. “Quando eu vi, Felipe, o diretor, me faz um convite pra participar”. Em agosto do mesmo ano, Kauê juntou-se às gravações e assumiu o papel de Enzo. Segundo ele, Enzo é um personagem extrovertido e faz um contraponto com o tom sério da série. “O Enzo tem muito de mim, a personalidade dele caiu muito bem com a minha, porque eu também sou brincalhão e descontraído, mas sério quando preciso ser”, declara.

Kauê explica que, por se identificar com o personagem, foi fácil assumir o papel. Por outro lado, ele também teve algumas dificuldades ao longo do processo. A prostituição é um dos temas abordados na obra e o ator teve que participar de gravações que poderiam gerar algum desconforto. “Uma das partes mais difíceis foram as cenas de sexo”, relata. “Para um ator iniciante, momentos assim causam um pouco de estranheza, mas eu assumi a responsabilidade e consegui fazer as cenas”, completa.

Juízo Final promete abordar temas como homossexualidade, prostituição, preconceito, religiosidade e violência doméstica. Kauê frisa a importância de se discutir esses temas e convida a todos para que conheçam a série: “Todos precisam assistir essa série, porque ela toca em assuntos que, a priori, incomodam, mas são importantes para as pessoas expandirem suas mentes e perceberem que há assuntos delicados que precisam ser discutidos e que não podemos deixar isso para depois”.

Dirigida e roteirizada por Felipe Rodrigo Borba e produzida pelo coletivo gaúcho Suprema Filmes, a série Juízo Final vinha sendo idealizada pelo diretor desde 2013. Concebida para a plataforma digital, a produção terá oito episódios com duração média de 42 minutos cada. Eles serão lançados semanalmente, a partir de amanhã (31), todas as quintas-feiras, às 21h, no canal da Suprema Filmes, no YouTube.

Elenco: Talyta da Rosa, Janaína Barbosa, Fernando Braga, Marcele Tedy, Marilene Melo, Bruna Kirsten, Nairim Tomazini, Constantino Mestre, Maria Eduarda Brandão, Isadora Fraga, Orly Speck, Ilza Farias, Carlos Paixão, Felipe Casco, Mariana Catalane, Everton Bittencourt, Glória Andrades, Thainan Rocha, Ronaldo Scheffer, Joana Caspar, Marina Pizatto, Denise Franzen, Cláudio Luza, Maísa Krause, Phillipe Coutinho e Kauê Santos.

Roteiro e direção: Felipe Rodrigo Borba

Produção: Felipe Rodrigo Borba e Gustavo Kunde

Direção de Fotografia: Fabiano Martins

Direção de Arte: Denise Franzen

Câmera: Felipe Rodrigo Borba, Fabiano Martins e Victor Lucas

Operador de áudio: Gustavo Kunde e George Lucas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *