Conheça o slam: prática que leva poesia a ambientes não convencionais estará presente na Feira do Livro de Porto Alegre

Talvez desconhecido pela maioria, o slam é a prática de declamar poesia sem o auxílio de acompanhamento musical. Surgido em Chicago, em 1984, o movimento ganhou muitos adeptos por conseguir tirar a poesia dos livros e dos ambientes tranquilos e colocá-la nas ruas, próxima de quem quisesse ouvi-la.

O rapper e slammer (nome dado aos praticantes do slam) Vinícius Brasil é um dos diversos apaixonados pelo formato. Segundo ele, escrever poesias é sua válvula de escape. “Os sonhos são indispensáveis para seguirmos em frente, pois eles me mantêm vivo”, declara.

Leia mais →

Programa Ciclista Trensurb: 10 anos de incentivo à mobilidade sustentável

Neste mês, o Programa Ciclista Trensurb completa 10 anos. Trata-se de uma iniciativa da empresa metroviária, que, em 2008, liberou o transporte de bicicletas nos trens, buscando atender às diretrizes do Programa Brasileiro de Mobilidade por Bicicletas, da Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbana, do Ministério das Cidades. O programa nacional buscou servir de referência para os municípios que desejassem incentivar o uso da bicicleta, visto como fundamental para a mobilidade urbana sustentável. O programa da Trensurb, por sua vez, define horários específicos para o transporte de bicicletas no metrô: de segunda a sábado, das 9h30 às 11h, das 14h às 16h e das 21h às 23h20; aos domingos e feriados, durante todo o horário de operação, das 5h às 23h20.

Leia mais →

Sapucaia do Sul: 55 anos de emancipação

Sapucaia do Sul teve origem com a chegada dos descendentes portugueses e açorianos, à Fazenda Sapucaia e ali fixaram moradia, tomando posse da terra com a Carta Sesmaria, em 1738. O local era distrito do município de São Leopoldo e conquistou vida administrativa própria em 1961, quando foi emancipada pelo então governador do estado do Rio Grande do Sul, Leonel Brizola. A cada dia 20 de agosto é comemorada a vitória do plebiscito que resultou na emancipação política da cidade.

Leia mais →

Vá de metrô e aproveite suas férias!

Na terceira parte da série “Vá de metrô e aproveite suas férias”, sugerimos mais algumas dicas de locais para seu entretenimento. Nesse último post o foco são os locais para festas, baladas e/ou shows. Sabemos que não esgotamos o tema e para isso, contamos com suas sugestões para compartilharmos com os demais usuários/leitores, de preferência utilizando apenas o trem e alguma conexão via ônibus:

Porto Alegre

Começando pela Cidade Baixa, o bairro mais boêmio da capital, temos o Cucko (Rua Lima e Silva, 1037). O local oferece uma festa bem diversificada, onde toca desde rock pesado até o pop mais dançante. Para chegar lá, desembarque na Estação Mercado, e no Terminal da Rua Uruguai, em frente ao Centro Integrado de Passagem Escolar e Isenções (CIPEI), todas as linhas de ônibus chegam até a Cidade Baixa. A Casa do Lado, na Rua da República, 546, também é outra opção do bairro. Mas se a ideia é, além da balada, também ir a um show, o Bar Opinião é uma casa completa, com uma programação intensa todo o ano e shows para diversos públicos.

Canoas

Bem próximo da Estação Canoas, no Shopping da cidade, está localizado o Hangar 14 Bis (Avenida Guilherme Schell , nº 6750), um lugar bem sofisticado e agradável para um happy hour. E quem procura um programa diferente e quer conhecer e ouvir bandas novas e/ou independentes, o caminho é conhecer o B.I.L – um coletivo de bandas independentes que se reúnem para fazer shows em locais variados, portanto é bom acompanhar a página do coletivo na internet para ter mais informações.

Sapucaia do Sul

Já em Sapucaia, é possível ir a pé da estação até o House Bowling, um ambiente bacana para encontrar os amigos e jogar boliche. O Holiday Estúdio Pub, que durante o dia funciona somente como um estúdio e a noite, um pub bem frequentado, fica a 1,7 quilômetros da Estação Sapucaia, na Avenida Leônidas de Souza, 891.

São Leopoldo

Em São Leopoldo, entre diversas opções, o Factory Beer Club se destaca por disponibilizar ambientes para a reunião de amigos e comemorações de formaturas, aniversários ou simplesmente o encontro de grupos. A cerveja artesanal produzida na própria microcervejaria é um diferencial do local. Localizada também na Avenida Independência, a seguir você encontra a Confraria 1191. Para chegar a ambos os locais, é só desembarcar na Estação São Leopoldo. E para quem busca ouvir jazz, blues, ska e até o velho rock’and’roll, a opção é o Kickers Football Pub, o local com referências ao esporte fica a 1,8 quilômetros da Estação São Leopoldo.

Novo Hamburgo

Aproximadamente a 1,2 quilômetros da Estação Novo Hamburgo, um charmoso pub temático, inspirado nos Beatles, assim é o Abbey Road Bar. Já as baladas na cidade acontecem na TR3S e na Vogue, ambas as casas localizadas na Avenida Nações Unidas, próximo da Estação Fenac.

Um olhar diferenciado para as férias

Dando continuidade a nossa viagem nesse período de férias de verão – para aqueles que não puderam viajar ou mesmo continuam trabalhando e/ou estudando, aí vão nossas dicas culturais nos municípios atendidos pelo metrô, sem gastar praticamente nada além das passagens de trem e, em alguns casos, ônibus.

 

201304011533000.Foto por Marco Pecker (165)

Porto Alegre

A “capital internacional dos gaúchos” é a cidade que mais oferece opções para quem deseja expandir o repertório cultural. Há espaços, galerias e museus para todos os gostos, desde os históricos até os artísticos. O principal deles, sendo referência no Estado e no Brasil, é o Museu de Arte do Rio Grande do Sul Ado Malagoli, o MARGS.

Localizado no centro histórico da capital, mais precisamente na Praça da Alfândega (a 9 minutos a pé da Estação Mercado) o MARGS é um dos responsáveis pela consagração definitiva do Modernismo entre os gaúchos. Há exposições artísticas com importantes obras contemporâneas e modernistas durante todo o ano e com entrada gratuita. Mais informações: http://www.margs.rs.gov.br/.

Também na Alfândega é possível conhecer a imponência do prédio do Santander Cultural, patrimônio histórico tombado em 1987. Construído entre 1927 e 1932, num estilo eclético combinando elementos neoclássico, art nouveau e barroco-rococó, o local foi inteiramente restaurado, transformando a antiga sede de diversos bancos num espaço cultural privilegiado. A extensa programação de verão 2015 deve ser conferida, pois inclui artes visuais, música e cinema. Até 1º de março é realizado a tradicional Seleção de Cinema Brasileiro, exibindo grandes filmes produzidos no país.

Continuando o passeio na praça onde acontece todo ano a Feira do Livro, outra opção é conhecer o Memorial do Rio Grande do Sul, voltado para a preservação da cultura gaúcha. Ali estão reunidos objetos, mapas, gravuras, fotos, livros, imagens iconográficas e depoimentos importantes sobre os principais fatos ocorridos no Rio Grande do Sul. O acervo está exposto através de uma concepção museográfica moderna aliada a novas tecnologias. O prédio de 3.600 m², que abrigou os Correios e Telégrafos, foi construído entre os anos de 1910 e 1914, e tombado em 1980 pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Aberto ao público de terça a sábado, das 10h às 18h, domingos e feriados das 13h às 17h.

Na Rua dos Andradas, temos o Museu de Comunicação Social Hipólito José da Costa, com coleções completas de jornais e revistas, reunindo cerca de oito mil títulos, datados desde o ano de 1920. Continuando pela Rua dos Andradas, chegamos a Casa de Cultura Mario Quintana, localizada no antigo prédio do Hotel Majestic, homenagem a um dos maiores poetas gaúchos, morto em 5 de maio de 1994, aos 87 anos, imortalizado pela Casa de Cultura que leva seu nome e, principalmente, pelo Quarto do Poeta, uma reconstituição fiel com móveis e objetos pessoais do escritor. Nos 12.000 m² de construção da CCMQ pode-se escolher entre as diversas programações na área do cinema, música, artes visuais, dança, teatro, literatura, e a realização de oficinas e eventos ligados à cultura.

Por fim, ainda a poucos minutos de caminhada da Estação Mercado da Trensurb, chegamos a Usina do Gasômetro. Cartão postal da cidade, além de abrigar teatros, temos a Usina do Gasômetro. Num só lugar encontramos cinemas, teatros, cafés e exposições, além do terraço da Usina, uma referência para quem busca um belo ângulo da cidade e da orla do Guaíba. Assistir dali o pôr-do-sol mais “lindo do mundo”, de acordo com a opinião dos gaúchos, é programa imperdível.

Também referência na capital e no Brasil, a Fundação Iberê Camargo preserva e divulga a obra do artista gaúcho Iberê Camargo. O prédio famoso, localizado na zona sul de Porto Alegre (Av. Padre Cacique, 2000), é assinado pelo arquiteto português Álvaro Siza. A cada ano, são organizadas exposições, seminários, encontros com artistas e curadores, cursos e oficinas sobre a obra de Iberê Camargo e questões ligadas à arte contemporânea, a fim de promover uma reflexão sobre o fazer artístico. A entrada é gratuita. Para chegar ao local, basta desembarcar na estação Mercado e pagar a tarifa dos ônibus Assunção no Terminal Uruguai (R$ 2,95) ou ainda pelo Catamarã Zona Sul (R$ 5), que possui embarque no Cais do Porto Armazém B3, junto a estação do metrô. Mais informações: http://www.iberecamargo.org.br/.

Canoas

 

Apenas 13,5 quilômetros de Porto Alegre, Canoas é um dos polos industriais mais importantes do Brasil, com o segundo maior PIB do Rio Grande do Sul, atrás apenas de Porto Alegre, e 25º entre todas as cidades brasileiras. Atualmente com população de 323.827 habitantes, o município contava com pouco mais de 40 mil habitantes, quando foi emancipada, em 1939.

Bem próximo da Estação Canoas, está localizado o Arquivo Histórico e Museu Hugo Simões Lagranha (Rua Ipiranga, 105), que tem em seu acervo documentos, fotos e peças históricas do município. Também junto à estação vale à pena conhecer a Casa das Artes Villa Mimosa, um dos prédios mais antigos da zona urbana do município. Construído em 1904, em estilo neoclássico, e preservado por décadas pelo casal Frederico Guilherme Ludwig e dona Mimosa, os primeiros proprietários, o prédio foi restaurado e entregue à comunidade pela prefeitura. O Centro Cultural, agora público, dispõe de ambientes e projetos para formação, expressão e disseminação cultural. Uma intensa agenda pode ser acessada no sitio da prefeitura, geralmente com acesso gratuito

São Leopoldo

Fundada em 25 de Julho de 1824, a cidade de São Leopoldo, carinhosamente apelidada de “São Léo” por seus moradores, é considerada o berço da colonização alemã no Brasil. A cultura alemã é fortemente presente na vida dos moradores da cidade, seja na gastronomia, nos monumentos históricos ou na arquitetura.

Junto à Estação São Leopoldo, podemos visitar o Museu do Trem, construído na antiga estação ferroviária de São Leopoldo, a primeira do Rio Grande do Sul, onde é mantida viva a história do trem no Estado. O Museu abriga, desde 1976, objetos, documentos, mobiliário, mapas e fotografias dos Departamentos da Viação Férrea do Rio Grande do Sul e da Rede Ferroviária Federal S.A. O acervo histórico é referente a um período compreendido desde a inauguração da primeira ferrovia gaúcha – que ligava Porto Alegre a São Leopoldo –, em 1874, até os dias atuais. Mais de 13 mil itens catalogados compõem o acervo da instituição, que também conta com atividades de incentivo à educação, como oficinas pedagógicas de conscientização de patrimônio e programas de ação educativa com foco na democratização dos museus.

No município podemos, ainda, conhecer a Sociedade Orpheu, fundada em 1858 e possui o título de clube social mais antigo do Brasil. Em sua história, contou até mesmo com a visita do Imperador Dom Pedro II em sua passagem pelo país no ano de 1865. Atualmente, a sociedade, que fica localizada no centro do município (Rua Brasil, 506), é conhecida por suas festividades.

A cidade também conta com o Museu Histórico Visconde de São Leopoldo (Avenida Dom João Becker, 491), que foi fundado para salvar do esquecimento, da perda e da destruição, objetos, livros, cartas, jornais, documentos e outros elementos que se refiram à história da imigração e colonização alemãs. O museu também possui cursos de idiomas, música, pintura, além de uma pinacoteca com obras dos renomados artistas gaúchos Xico Stockinger, Pedro Weingärtner, entre outros. A entrada custa R$ 2.

Novo Hamburgo

Descoberta no mesmo ano que São Leopoldo, 1824, a cidade de Novo Hamburgo também possui relação muito forte com suas raízes na imigração alemã. Hoje um dos municípios mais populosos do Estado, Novo Hamburgo é referência na indústria do couro e do calçado, sendo conhecida como a capital nacional do calçado.

Entre os pontos culturais, destaca-se a Fundação Ernesto Frederico Scheffel. Inteiramente restaurado pela municipalidade na década de 1970, hoje o prédio abriga mais de 400 obras de Ernesto Frederico Scheffel, constituindo-se numa das maiores pinacotecas do mundo que expõe obras de um mesmo artista. Situada no Centro Histórico do bairro Hamburgo Velho (Av. General Daltro Filho, 911) e sendo o primeiro imóvel do município restaurado e revitalizado, a Fundação Scheffel trabalha pela conscientização e preservação do patrimônio histórico da cidade. São promovidos eventos culturais – palestras, seminários, recitais, entre outros – já tradicionais na cidade e dos quais participam os mais diversos públicos. Mais informações: http://www.novohamburgo.rs.gov.br/