Uma visita especial

Thiago Gonsalves tem 34 anos, um a mais que o metrô operado pela Trensurb, e, desde pequeno, acompanha com interesse a evolução da empresa. Ele convive com o transtorno do espectro autista, mais conhecido como autismo. Durante uma visita no dia de ontem (12), ele pôde conhecer um pouco mais sobre a rotina e o funcionamento do sistema metroferroviário que liga Porto Alegre a Novo Hamburgo.

Leia mais →

Uma visita que realizou e despertou sonhos

“Realização de um sonho” foi como a mãe de Diego Rodrigues da Rosa, Liliane, definiu a visita do filho à Trensurb. Acontece que Diego é fascinado por trens. Pesquisa em casa sobre o funcionamento do metrô e acessa constantemente o site da empresa para saber das novidades.  É mais que um simples passageiro. Ele não apenas utiliza o serviço da Trensurb como meio de transporte rápido e eficiente, ele desfruta a viagem. Por vezes, já foi à Estação Unisinos com o único objetivo de viajar de trem, sem ter propriamente um destino certo ou algum compromisso que exigisse a locomoção. Foi por conta dessa admiração que a família de Diego entrou em contato com a Trensurb para solicitar uma visita à sede da empresa. Morador de São Leopoldo, o adolescente de 17 anos é portador do transtorno do espectro autista e do transtorno bipolar.

Leia mais →

Um colecionador especial

Todos os meses, Ismael vem até a sede administrativa da Trensurb buscar a edição mais recente do Notícias Trensurb, informativo interno da empresa. Até agora, nunca havíamos nos dedicado a questionar o que leva o rapaz a ter tanto interesse por algo que, a princípio, é destinado somente ao público interno. Mas bastou uma breve conversa para entendermos que o gosto de Ismael ia além das notícias da empresa. De acordo com sua mãe, Maria da Graça Blohem, “desde pequeno ele adora veículos em geral e guarda todo o material que consegue referente a esses assuntos”.

Aos 25 anos, Ismael Blohem é um apaixonado por trens. Ou, como costuma-se chamar, um ferro-fã. Ele coleciona folders, adesivos, cartões postais e, claro, informativos. Tudo que é relacionado a ferrovias lhe causa grande interesse. Portador do transtorno do espectro autista – mais conhecido como autismo –, Ismael demonstra ser um grande conhecedor do modal, desde o projeto de construção das vias da Trensurb até os planos para o futuro Metrô de Porto Alegre.

Leia mais →

Entusiasta metroviário e piloto da CPTM visita Trensurb

Na última sexta-feira (6), nós da Trensurb recebemos a visita do fotógrafo, pesquisador ferroviário, entusiasta e maquinista das linhas 8 e 9 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), Diego Silva.

Diego é fundador e responsável pelo blog CPTM em Foco, trabalho classificado duas vezes consecutivas como um dos três melhores blogs do Brasil na categoria “notícias e cotidiano”, na premiação Top Blog Brasil, organizada pelo Grupo Lomadee.

Leia mais →

Luis viajou ao Rio Grande do Sul para conhecer a Trensurb

Os ferro-fãs e a interação na era digital

Todos temos hobbies, atividades específicas para os momentos de lazer. Séries inteiras que assistimos em pouco tempo, autores que conhecemos bem, times para os quais fazemos questão de torcer… Mas você sabia que existem pessoas realmente apaixonadas por sistemas ferroviários e metroviários? Na série de posts “O Universo dos Ferro-Fãs” você descobrirá várias particularidades sobre aqueles que gostam muito de trens e ferrovias. Vem com a gente!

O envolvimento online

Diego com um trem série 2100 da CPTM

Diego com um trem série 2100 da CPTM

No primeiro post da série sobre os ferro-fãs, descobrimos várias particularidades sobre as pessoas que gostam muito de trens e ferrovias. Uma delas, característica presente na vida da grande maioria deles, é a presença nos meios digitais, especialmente fóruns de discussão e redes sociais. Contudo, outro fator que impressiona, além da presença online, é a criação de portais e grupos destinados a notícias sobre sistemas ferroviários e metroviários.

Em terras brasileiras, a maioria dos portais destinados a notícias sobre o universo ferroviário concentra-se em São Paulo. O maquinista das linhas 8 – Diamante e 9 – Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) Diego Silva, por exemplo, é fundador do blog CPTM Em Foco. Desde criança, ele admirava os trens quando era necessário utilizá-los. “Moro em Rio Grande da Serra, em São Paulo, e a melhor maneira de se locomover para as cidades vizinhas é de trem. Já eram veículos um pouco antigos na época e os maquinistas andavam com a porta das cabines abertas. Eu ficava observando todo o movimento de alavancas e botões e achava aquilo fantástico”, recorda. A responsabilidade de conduzir os grandes veículos também era algo que despertava sua admiração. “Desde então, passei a gostar daquilo e a sonhar em, um dia, ser igual àqueles maquinistas”, diz.
No ano de 2009, Diego passou a interagir mais com a CPTM, conhecendo todas as linhas e pesquisando sobre a frota da empresa. “Até então, havia treze séries diferentes de trem e cada uma com características diferentes da outra, o que tornava tudo ainda mais interessante”, explica. Essa paixão crescente o fez conhecer cada vez mais as características de um sistema metroviário, tornando esse tipo de conhecimento cada vez mais presente em sua vida. “Eu já fui desses de parar tudo para clicar um trem ou uma locomotiva, mas hoje sou mais reservado”, relata.

Diego posa junto de um trem chinês no Rio de Janeiro

Diego posa junto de um trem chinês no Rio de Janeiro

A ideia de criar um blog que trata apenas de assuntos ligados à empresa metroviária paulista surgiu há cinco anos com o intuito de compartilhar imagens que ele fazia na CPTM e no Metrô de São Paulo – traço presente na maioria dos ferro-fãs, que adoram fotografar e filmar os trens em funcionamento e divulgar para os amigos.  Tal dedicação não foi ignorada. O trabalho desenvolvido por Diego no blog foi classificado duas vezes consecutivas como um dos três melhores blogs do Brasil no evento Top Blog Brasil, organizado pelo Grupo Lomadee, que premiou cerca de noventa blogs em trinta categorias. “Concorrendo com mais de 140 mil blogs, houve essa façanha de ser Top 3 dois anos seguidos”, comemora.

Luis fotografando um veículo da América Latina Logística

Luis fotografando um veículo da América Latina Logística

O técnico de sistemas eletroeletrônicos de transporte sobre trilhos Luis Fernando da Silva, assim como Diego, também possui uma ligação com trens desde pequeno. Seu pai o levava durante os finais de semana para passear de trem. “Embarcávamos e íamos até a estação final, retornando depois. Na maioria das vezes, nem saíamos, só passeávamos de trem”, lembra. A primeira lembrança que ele tem de um trem é de quando viajou ao interior de São Paulo com os trens da extinta Fepasa. “Na viagem a São José do Rio Preto, interior paulista, passei a gostar de trem e não parei desde então”, conta. Atualmente ele trabalha na empresa MPE – Montagens e Projetos Especiais, atuando na implantação do novo sistema de sinalização da CPTM e na obra do monotrilho do Metrô de São Paulo.

Entre as atividades preferidas de Luis, que ele denomina como hobbies, a principal é a fotografia ferroviária. “Capturo imagens de trens, estações, oficinas, paisagens relacionadas à ferrovia e viajo ao interior e outros estados do país com esse fim”, pontua. Ele já conheceu o Rio de Janeiro e também viajou ao Rio Grande do Sul para visitar, inclusive, a Trensurb, “empresa muito organizada, limpa e eficiente”. Munido desse material, ele busca publicar as fotografias em diversas páginas de ferroviários espalhadas pelo Facebook. Nelas, tanto Luis quanto outros membros, além de compartilharem entre si esse conteúdo, discutem sobre diversas questões relacionadas ao mundo ferroviário. “Conversamos sobre os mandos e desmandos das ferrovias, o sucateamento da malha brasileira e seu futuro”, diz.

Luis viajou ao Rio Grande do Sul para conhecer a Trensurb

Luis viajou ao Rio Grande do Sul para conhecer a Trensurb

De acordo com Diego, que administra o blog CPTM Em Foco, essas mídias são bastante procuradas em São Paulo. “Existem diversos portais sobre o assunto. Blogs, páginas no Facebook, fóruns no SkyScraperCity e mais recentemente no WhatsApp”, diz. Contudo, Diego observa que a interação nesses meios vai muito além dos ferro-fãs. “Os passageiros que não conhecem muito o funcionamento do sistema participam bastante das discussões e acabam descobrindo coisas que jamais imaginavam. Acabam virando nossos amigos e nos ajudam muito com informações locais”, destaca.

O elo entre eles, que é a internet, possibilita uma convivência praticamente 24 horas por dia. “No caso do WhatsApp, no grupo dedicado ao meu blog, as pessoas começam a conversar já na partida dos primeiros trens da manhã, por volta das 4h! E continuam conversando sobre a lotação, se não há problemas, quais os melhores caminhos… Assim vai até o final da operação, que encerra meia noite”, conta, impressionado. Sobre o trabalho de manter um portal destinado às informações do sistema metroviário, Diego destaca que é um trabalho muito legal de fazer, “porque além de poder ajudar os demais com informações e notícias, auxilio também com conhecimento de causa”, finaliza.

Descobrindo o universo dos ferro-fãs

Todos temos hobbies, atividades específicas para os momentos de lazer. Séries inteiras que assistimos em pouco tempo, autores que conhecemos bem, times para os quais fazemos questão de torcer… Mas você sabia que existem pessoas realmente apaixonadas por sistemas ferroviários e metroviários? Na série de posts “O Universo dos Ferro-Fãs” você descobrirá várias particularidades sobre aqueles que gostam muito de trens e ferrovias. Vem com a gente!

Construindo um futuro sobre trilhos

No pátio da Trensurb, no Setor de Responsabilidade Socioambiental (Seram), pode-se ouvir o som de um trem Metropolis, da Alstom. É um dos veículos da série 9000 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM). O áudio emana das caixas de som do computador utilizado por Djessi Carvalho, estagiário do setor desde fevereiro deste ano. Ele assiste a um vídeo do trem partindo de uma estação da capital paulista. Gabriel, colega de trabalho de Djessi, com um sorriso, dispara: “esse daí gosta muito de trem”.

“Já viu gente que é louca por trem? Aquele tipo de cara que, quando vê um, para tudo o que está fazendo para tirar foto? Eu sou tipo esse cara”, justifica. Pelas conversas com seus colegas de empresa, evidencia um conhecimento avançado sobre sistemas ferroviários para um jovem de 16 anos. Assistindo atentamente ao vídeo, expressando visível admiração, Djessi compara trens da CPTM (SP), SuperVia (RJ) e Trensurb – e sabe exatamente a que séries correspondem: 9000, 4000 e 200, respectivamente. “O Metropolis da Trensurb é o mais original de todos. Suas extremidades têm cores diferentes”, analisa.

Morador do município de Esteio, Região Metropolitana de Porto Alegre, Djessi é um autodeclarado ferro-fã – termo utilizado para designar indivíduos fascinados pelo universo ferroviário. Contudo, o peculiar interesse por tudo o que se relaciona a trens, segundo ele, não surgiu por acaso. “A história começa antes mesmo de eu nascer”, explica. Tudo teve início quando Teilor, o irmão de Djessi, foi levado pela avó à Trensurb com o intuito de conhecer a empresa. Em 1998, ele andou na cabine de um dos trens, conheceu o Centro de Controle Operacional e o Setor de Manutenção Leve. A visita rendeu um vídeo, “feito com aquelas câmeras que eram grandes e pesadas na época”, descreve Djessi.

Anos depois da icônica visita, o ferro-fã mirim começou a assistir às filmagens com profunda admiração. “E eu pensava: nossa, que legal, cara!”, recorda, destacando que esse foi um simples ato, mas responsável por despertar nele uma nova paixão. “Depois que assisti àquilo, queria andar de trem para ver se teria a mesma sensação que meu irmão”. Desde então, a vida de Djessi passou a ter uma profunda conexão com o mundo dos trilhos de ferro e trens. Com a primeira visita do pequeno à empresa – sempre em busca da mesma sensação de fascínio que teve seu irmão –, teve a oportunidade de conhecer melhor a Trensurb e diversos aspectos do sistema metroviário. “Não cheguei a andar na cabine, mas comecei a gostar ainda mais”, lembra. A partir daí, as visitas se tornaram mais frequentes. Atendendo aos apelos do filho, de oito anos na época, a mãe, Vera Lúcia, levou-o à Estação Farrapos para um evento em comemoração aos 22 anos de operação da Trensurb. À época, no ano de 2007, o interesse de Djessi já era notório, tanto que chamou a atenção da equipe de comunicação e ele foi um dos entrevistados para uma matéria publicada no site da empresa. “O que eu mais gosto é brincar de trenzinho, tenho uma coleção em casa, e quando crescer quero trabalhar no trem”, declarou, sem imaginar que o sonho se concretizaria oito anos depois.

Sua paixão ferroviária já o levou a vários lugares. Em 2012, visitou São Paulo junto de sua avó. “Ela me acompanha nas viagens. Ela diz: Djessi, eu pago as passagens de trem e a gente vai. Andamos em toda as as linhas de trem e metrô, foi muito legal”, conta. No mesmo ano, visitou a Alemanha, onde teve a oportunidade de conhecer os trens regionais e o trem bala. “A sensação é boa, mas, ao mesmo tempo, é meio entediante, porque não se sente nada. O trem está a 300 quilômetros por hora e parece que está parado”, opina.

Trilhando novas conquistas

A internet foi uma espécie de ponte para que Djessi conseguisse o estágio que hoje desempenha. Determinado, descobriu um grupo da Trensurb no Facebook. Ele resolveu ser um integrante para obter contatos e informações no intuito de candidatar-se a uma vaga de estágio. Dessa forma, conheceu alguns empregados da empresa que, até hoje, continuam próximos do estagiário. “Agora que consegui, estou realizando meu sonho”, diz.

Para um futuro nem tão distante assim, as perspectivas de Djessi são animadoras. Ele pretende cursar engenharia ferroviária em São Paulo e dedicar-se ao ramo com o intuito de alcançar seu próximo sonho: ser um operador de trens. E, para qualquer um que se dedique a observar a história do jovem, não há dúvidas de que sua paixão o levará ainda mais longe.