Aceita um café?

A prestação de serviços pode ser algo psicologicamente oneroso, mas não para a copeira Sandra Regina Messias de Andrade, de 58 anos “bem vividos”, segundo ela. Mãe de quatro filhos e avó de três netos, já com o quarto(a) a caminho, ela define o trabalho de servir como “gratificante”. “Eu fui muito bem recebida, todos os setores são ‘bacanas’ e o pessoal também”, diz Sandra ao se referir a Trensurb. Depois de ter trabalhado informalmente em casas de família por muitos anos, ela, enfim, conseguiu a estabilidade da CLT ao ingressar na empresa AZ Copeiragem que efetuava o serviço de copa na empresa. “Esse serviço só me beneficiou porque, com a minha idade, fica difícil conseguir um emprego com carteira assinada”, completa.

Foto por Gustavo Nardon (1)

Apaixonada por música, Sandra é uma entusiasta do canto e não perde nenhuma oportunidade de soltar a voz, nem que seja em baixo volume, enquanto trabalha. “Eu adoro cantar e como tenho um sobrinho “pagodeiro” é um incentivo”, comenta entre risos. Ela já participou de grupos teatrais e também desfilou no carnaval da Capital, pela Imperadores do Samba, e pretende voltar aos palcos o mais breve possível, pois entende que este tipo de interação lhe faz muito bem.

De uma simpatia ímpar, ela tenta, segundo suas palavras, “receber e tratar todas as pessoas com um sorriso no rosto”. “Uma coisa que se deve entender e aprender é que cada pessoa possui uma maneira que gosta de ser atendido e saber identificar isso é necessário neste serviço, pois nem todos estão com o mesmo humor”, salienta. Outro ponto também abordado por ela é o novo hobby, o hábito da leitura. “Eu lia pouco e tomei gosto pela leitura. Hoje eu leio muitos livros”, afirma convicta.

Natural de Rio Grande, Sandra casou e engravidou ainda cedo, abandonando a escola, no período considerado hoje como ensino médio. “Uma coisa que aprendi com a vida é que as pessoas não são o que são pela sua instrução, mas sim pelas circunstâncias e forma que encaram os problemas. Eu só posso agradecer, com esses meus 58 anos que tenho orgulho de falar é que mesmo com pouco eu sou feliz e agradeço a Deus por estar aqui viva”, afirma.

Sobre o trabalho realizado na Trensurb, ela demonstra todo sua satisfação por estes três anos na empresa. “Me sinto orgulhosa de ter atendido o presidente e vários diretores. Posso dizer que amo trabalhar aqui”, completou com seu sorriso único. O gestor do contrato com a AZ Serviços, pela Trensurb, é Gilnei Pimentel de Oliveira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *