Foto: Vinicius Silveira/Famecos/PUCRS

Trabalho sobre a mensuração de reputação da Trensurb é premiado no 30º SET Universitário

De 22 a 29 de setembro, ocorreu o 30º SET Universitário da Faculdade de Comunicação Social (Famecos) da PUCRS. A semana de atividades acadêmicas, oficinas e palestras é promovida anualmente pela instituição. O último dia do SET é tradicionalmente marcado por uma premiação que elege os melhores trabalhos de área da comunicação, divididos em 45 categorias. Mais de 7 mil alunos de 49 diferentes universidades de todo o Brasil inscreveram-se no Prêmio SET 2017. Na categoria Pesquisa Institucional e Organizacional, o trabalho vencedor do Prêmio foi “Mensuração da Reputação da Empresa Trensurb”, realizado pelos alunos Cristiane Curi, Matheus Felipe, Paula Merker e Rubiana Valim, da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, orientados pela professora Ana Karin Nunes.

“Nós queríamos uma empresa que tivesse um público amplo e que de alguma forma nós estivéssemos envolvidos. Eu citei a Trensurb, já que trabalho aqui, e o pessoal gostou”, diz Cristiane, que atua como técnica em administração na empresa metroviária e cursa relações públicas na UFRGS. O objetivo do trabalho foi de mensurar a reputação da Trensurb frente à comunidade em que está inserida, através de pesquisas quantitativa e qualitativa. Foram 2.783 participantes divididos entre público interno – quem tem ou teve vínculos com a empresa – e externo. Conforme o trabalho do grupo, o “serviço oferecido pela empresa é essencial na rotina de milhares de pessoas”.

Segundo a pesquisa, a palavra que mais frequentemente vem à cabeça das pessoas quando se fala de Trensurb é “rapidez”. Um dos fatores que chamou a atenção por ter uma boa avaliação tanto do público interno quanto externo, foi a questão do apelo emocional da empresa: “Nós fizemos a pesquisa através da teoria do consciente de reputação, que faz análise através de seis pilares. Um deles é o apelo emocional, que considera a proximidade e sensação de pertencimento do passageiro” destaca Cristiane. Ela conta que o fato também chamou a atenção da professora, que “o usuário faz a crítica, mas ao mesmo tempo sabe o quão é importante: ele valoriza o serviço”, diz.

O trabalho também foi embasado em pesquisas sobre a Trensurb na mídia. O grupo percebeu que boa parte das notícias da empresa tem teor negativo, mas que isso não chega a influenciar a imagem junto ao usuário. Segundo Cristiane, “eram coisas amplas. Por exemplo, choveu e caiu uma árvore. Foi algo que não foi a Trensurb que quis ou que promoveu o acontecimento, eram muito mais coisas em relação ao tempo. Mesmo tendo notícias negativas na mídia, isso não chegava a impactar no público”. O trabalho afirma que “ficou claro que a Trensurb não é responsável por muitos dos problemas e que sempre trabalha o mais rápido possível para resolvê-los”.

O grupo, bem como o público, destacou a utilização da mascote da empresa como forma de levar informação ao usuário do trem. Consta no trabalho que “a proposta que já vem sendo usada, de utilização do Zurbinho em suas postagens, a fim de conscientizar os usuários de forma dinâmica, é interessante, visto que já representa, para alguns usuários, como a primeira palavra que remete à Trensurb”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *