Na escola ou nos trilhos, guiando pessoas

André Gilberto Bouffet Prado, de 35 anos, nascido e morador de Canoas, é operador de trens na Trensurb desde dezembro de 2010. André iniciou sua carreira profissional com 17 anos, na indústria. Em 2006, passou no concurso para trabalhar como agente metroviário no metrô gaúcho. Em 2010, participou de seleção interna para fazer parte do Setor de Tráfego (Setra), tornando-se então operador.

Formado em matemática, André fez estágios em uma escola do ensino fundamental e uma do ensino médio, ambas em Canoas, no ano de 2007. Após a formatura, optou por continuar na Trensurb em vez de seguir carreira na nova profissão. Ele explica sua escolha: “Na época o professor não estava tão valorizado, como ainda não é. As pessoas não têm a cultura de valorizar a profissão de docente. E como tinham muitos problemas, até mesmo de violência contra professores, acabei desgostando um pouco da situação e deixando de lado”. Sobre a possibilidade de voltar a lecionar, o operador afirma: “No momento não penso ainda, mas não sou taxativo, não descarto”.

Leia mais →

Retrato de uma piloto dos pampas

Raquel Krumberg da Silveira Barbosa, de 36 anos, atua como operadora de trens desde 2010. Ingressou na Trensurb em 2008, como assistente operacional, seu primeiro emprego.

O trabalho como operadora rendeu a Raquel uma chance de ser personagem em uma matéria da Revista Claudia, da Editora Abril. Na série de reportagens “Retratos da mulher brasileira”, eram contadas histórias de mulheres cujas profissões são desempenhadas majoritariamente por homens. Essas pessoas eram selecionadas pelas cinco regiões do país e a metroviária foi escolhida para ser a representante do sul. De acordo com Raquel, a oportunidade foi interessante: “O repórter e o fotógrafo ficavam me seguindo pelo trabalho para ver como era. Foi assim por dois dias. Achei muito divertido, porque não é uma coisa que acontece sempre”.

Raquel mora em Sapucaia, mas nasceu em Esteio. Hoje, ela vive com seu marido e dois filhos, gêmeos de 19 anos. Seus principais momentos de lazer ainda conectam-se com a Trensurb: a operadora gosta muito de participar das atividades do departamento de tradições gaúchas Trilhos da Tradição, pois diz adorar dançar. “Só não danço mais, porque meu marido não gosta muito”, comenta aos risos.