“Aqui tudo é diferente”: o balanço do trem transformado em arte

Até o dia 30 de abril, o Santander Cultural, no Centro de Porto Alegre, recebe a exposição Aqui tudo é diferente, da artista plástica Lívia dos Santos, com a curadoria do cearense Carlos Eduardo Bitu Cassundé.

Lívia, que possui bacharelado em artes visuais pela Universidade Feevale e atualmente cursa a licenciatura na mesma universidade, pesquisou o ato performático a partir do deslocamento urbano durante seu mestrado em artes visuais, na área de poéticas, pela UFRGS. Ela tem seu processo criativo realizado dentro do trem, usando o próprio movimento do veículo como pêndulo para seus desenhos. Na exposição, estão presente desenhos, fotografias, vídeos e fragmentos do diário da artista. Materiais esses que, em sua totalidade, foram produzidos no percurso entre Porto Alegre e Novo Hamburgo, a bordo dos carros da Trensurb.

Para confeccionar suas pinturas, Lívia amarrava um pincel na ponta de um cordão, que por sua vez, ficava em cima de um papel, no chão do trem. A artista segurava a outra ponta do cordão, encharcava o pincel com nanquim e deixava as oscilações, por intermédio das forças naturais da inércia e da gravidade, agirem sobre sua tela, imprimindo assim o balanço do metrô em suas artes.

Leia mais →

Foto: Arquivo Trensurb

Vida Paralela – Nova exposição na Galeria Mario Quintana

Foto: Arquivo Trensurb

Foto: Arquivo Trensurb

Entre os diversos detalhes da vida que não são percebidos, estão os que ainda não foram provados pela ciência. Mas nem por isso, o artista plástico Amaro Abreu, de 24 anos, deixou de exprimir suas percepções, que resultaram na exposição “Vida Paralela”, que pode ser conferida na Galeria Mario Quintana da Trensurb.

Ao passar pelo túnel de acesso às plataformas de embarque da Estação Mercado, em Porto Alegre, os usuários da Trensurb poderão conferir os traços em grafite do artista, bem como trabalhos feitos em papel, com aquarela e nanquim.

De acordo com Amaro, “trata-se de um mundo harmônico, onde plantas orgânicas são irmãs de criaturas com cabeças em forma de círculos perfeitos e monstros de olhar manso, um universo paralelo, quem sabe abrigado dentro de cada um e camuflado pela presa nossa de cada dia”.

Os interessados podem apreciar a exposição, mediante o pagamento da passagem unitária do metrô, no valor de R$1,70, já que a Galeria fica no espaço interno da estação. A bela exposição ficará disponível até o final do mês de outubro.