Uma segunda família na Trensurb

“É uma família, uma vida aqui dentro”. Essa declaração resume o sentimento de Ari Tonini, 63 anos, sobre o que é trabalhar na Trensurb. Natural de Ibirubá, Ari, que atua no Setor de Oficina (Seofi), formou-se em mecânica pela escola técnica Parobé no ano de 1973. Participou da seleção para ingressar na Trensurb em setembro de 1984 e foi convocado em março do ano seguinte. Desde então, atua na área de manutenção da empresa. Hoje, ele faz parte do plantão de manutenção corretiva dos trens. Suas atividades envolvem o auxílio no reparo de avarias que os veículos podem eventualmente apresentar.

Leia mais →

Foco na qualidade do trabalho e na família

Dentro da Trensurb, diversos setores atuam em conjunto para manter a operação em pleno funcionamento. Sem o uso de energia elétrica, é impossível manter a circulação dos trens, por isso os empregados do Setor de Energia (Senerg) estão sempre a postos, entre eles Luciano Ribas Nunes.

Luciano tem 43 anos, é natural de Pelotas, possui formação como técnico em mecânica pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas e técnico em eletrotécnica pela Escola Estadual Frederico Schmidt, de São Leopoldo. Antes de ingressar na Trensurb, atuou principalmente nas indústrias de plásticos, na Sanremo, e da borracha, na Tipler. Em ambas, suas tarefas sempre foram dedicas à manutenção industrial e o contato com as máquinas fez com que criasse uma afeição pela energia elétrica: “Minha atividade fim não era na parte elétrica, mas em muitos momentos realizei tarefas dessa área”.

Leia mais →

Mecânico, pescador, agricultor e viajante

Jorge Roberto dos Santos Mortágua, de 53 anos, assistente de serviços da Trensurb, é pai de quatro filhos. Wagner, Igor, Franci e Katriel. Tem também duas netas, Alichia, de sete anos, e Ana Julia, de nove. Mortágua, como é conhecido na empresa, trabalha na Coordenação de Desenvolvimento de Manutenção (CDM) do aeromóvel, auxiliando e efetuando serviços de manutenção no sistema.

Quando questionado sobre sua função na empresa, brinca: “Nem sei mais qual função é a minha, já passei por tantas. Só sei que, no momento, sou responsável pela manutenção do aeromóvel”. Antes de trabalhar no CDM, ele passou por vários outras áreas, como o Setor de Operações, os antigos setores de Manutenção Leve e de Manutenção e Obras e, por último, o Setor de Apoio. Na empresa há 28 anos, recém completados no dia 20 de outubro, ele conta que trabalhou em alguns lugares antes de ingressar na Trensurb, como em uma oficina mecânica: “Em Pelotas, atuei como mecânico em uma oficina, onde arrumávamos carros, caminhões e diversos outros veículos”.

Leia mais →