Família, disciplina e bem-estar

Marcelo Fernandes dos Santos tem 39 anos e mora em Charqueadas, mas nasceu em São Jerônimo. Viaja todos os dias 60 quilômetros para trabalhar na Gerência Jurídica da Trensurb, mas não vê problema nisso: “O caminho é muito interessante”, diz. Marcelo é advogado formado pela PUCRS, prestou concurso para a Trensurb em 2013 e está na empresa há dois anos. Anteriormente, trabalhava na Companhia Riograndense de Mineração, em Candiota, e vivia em Bagé, mas conta que se sentia distante dos pais, que moram em Charqueadas. Quando foi convocado pela Trensurb, resolveu aproveitar a oportunidade de voltar a ficar perto deles.

Leia mais →

Trabalho em conjunto

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com cerca de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho do Setor de Administração de Contratos (Seaco).

Quem faz? A equipe possui cinco membros: um advogado, uma técnica em administração, um assistente de gestão e duas estagiárias, sendo uma de direito e uma de nível médio.

O que faz? O trabalho do Seaco se dá em conjunto com os gestores da empresa, focando sua atuação na orientação legal a eles quanto a elaboração de projetos básicos para contratações de fornecimento de produtos e serviços, controle de contratos já firmados, obrigações contratuais e fiscalização. Atua também na revisão dos editais de licitações e contratos, na tramitação de renovações e prorrogações contratuais, bem como encarrega-se dos cálculos de reajustes ou repactuações. Além disso, a equipe do setor também auxilia na fiscalização de contratadas cujos empregados prestam serviços nas dependências da Trensurb.

Leia mais →

Um existencialista

Paulo André Geitens, de 46 anos, é pai e também já é avô de uma menininha chamada Isabeli. Exerce a função de técnico em administração na Gerência Jurídica da Trensurb há quatro anos. Sua principal função é cuidar dos pagamentos cíveis e trabalhistas. Antes de ser aprovado no concurso da Trensurb, Paulo foi proprietário de uma casa de produtos naturais, produziu lanches vegetarianos, foi guarda-parques e também trabalhou em uma exposição egípcia que circulou pelo Brasil. Ao ingressar na área jurídica da empresa, começou a estudar direito na Unisinos e, em 2015, pôde cursar uma cadeira de direito penal econômico em Portugal, aproveitando a oportunidade para conhecer a Itália. Nesse período, trabalhou em uma fazenda na região da cidade de Belluno, no norte do país, a 200 km da Áustria, e pôde ir de bicicleta até a localidade onde sua família originou-se.

Leia mais →

Uma família por trás do milk-shake

Foto: Arquivo Trensurb

Foto: Arquivo Trensurb

Não há quem resista a um milk-shake geladinho feito na hora. Não importa se é inverno ou verão, primavera ou outono: muita gente abre um sorriso no rosto só de pensar em tomar um.

 

Sorriso no rosto é o que as pessoas encontram quando vão ao quiosque do Bobs, na Estação Mercado, e são atendidos pela Jaqueline Gomes de Azevedo, de 21 anos. Há pouco mais de um ano ela trocou o ambiente da praça de alimentação do shopping pela movimentação da estação de trem.  “Se você perguntar pro cliente que passa por aqui se tem cinco centavos pra facilitar o troco, ele procura nos bolsos, abre a carteira para ajudar. No shopping eles te dão nota de R$ 50 ou de R$ 100 e mal te respondem. O pessoal aqui é muito mais simpático, alegre”, conta.

Até agosto do ano passado, Jaqueline pegava o trem quase todo dia para trabalhar em Canoas, Na época, uma troca de horários de trabalho fez com que ela segurasse os estudos para privilegiar o trabalho. Com a mudança para a Estação, ela pretende agora concluir o Ensino Médio e já planeja até uma faculdade: “Quero me formar em Direito. Sei que pra ser juíza precisa estudar bastante. Mas ainda estou indecisa. Tem muitos cursos que a gente nem faz ideia que existam e que podem ser uma opção também. Não fiz o teste vocacional ainda, mas pretendo fazer”.

Foto: Arquivo Trensurb

Foto: Arquivo Trensurb

Jaqueline fala que trabalhar no trem rende boas amizades. “Conheço o tio (da tabacaria), o pessoal da Gol, os funcionários do trem, a gente conversa bastante e sempre dá uma ajuda quando precisa. Aqui com o pessoal do Bobs a gente é quase uma família. Nós convivemos uns com os outros oito horas por dia. Tem gente que vem do colégio para cá, ou que sai daqui direto pra aula, então acaba passando mais tempo com a gente do que com os próprios parentes”, conta a atendente, antes de encerrar a entrevista e pedir uma foto com os seus colegas de trabalho, tão animados quanto ela.

Agora você já sabe: Se passar pela Estação Mercado, vai lá dar um oi para a Jaqueline!