Controle das finanças

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com cerca de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho da Gerência de Orçamento e Finanças (Georf).

Quem faz? Enquanto unidade administrativa da Trensurb, a Georf é constituída por apenas uma pessoa, o gerente Jair Bernardo Corrêa, administrador de empresas formado pela Unisinos, que possui pós-graduações em logística, pela UFRGS, administração da tecnologia da informação, pela Unisinos, e gestão de negócios, pela Fundação Dom Cabral.

À gerência, no entanto, estão vinculados três setores: de Orçamento (Seorc), de Pagamentos e Receitas (Separ) e de Contabilidade e Patrimônio (Secop). Incluindo a gerência e os três setores, são 27 empregados, entre contadores, administradores, técnicos administrativos, técnicos contábeis e assistentes. Há, também, estagiários das áreas de ciências contábeis e administração de empresas. A Georf responde diretamente à Diretoria de Administração e Finanças da empresa. 

O que faz? As atividades desenvolvidas pela Georf e seus setores são: orientação, coordenação e controle da execução das diretrizes estabelecidas pela Diretoria de Administração e Finanças para as atividades de orçamento, receitas, guarda e aplicação dos recursos financeiros, acompanhamento das despesas, pagamentos, apuração de tributos, atividades contábeis e de controle dos bens patrimoniais.

Leia mais →

Cuidando do que é importante

Roseni Kruchinski, de 52 anos, nasceu em Luziânia, cidade goiana próxima à divisa com Minas Gerais e ao Distrito Federal. Veio para o sul, no entanto, com apenas um ano de idade e se considera absolutamente gaúcha: “Vim pra cá com um ano, gosto de chimarrão, gosto de churrasco, sou daqui, me sinto muito gaúcha!”. Ela é administradora no Setor de Contabilidade e Patrimônio da Trensurb desde 2013.

Formada em administração de empresas, começou a carreira com um estágio na área. Em 2007, prestou concurso para a Trensurb e foi aprovada. Após passar pelas áreas de recursos humanos e jurídica, chegou à contabilidade, onde realiza o controle de todo o patrimônio da empresa, isto é, dos bens móveis que chegam e saem, desde cadeiras, mesas, até computadores e demais equipamentos eletrônicos. Como administradora, frequentemente precisa identificar fluxos de trabalho, adaptar-se a eles e elaborar normas de procedimentos, além de participar do inventário anual da instituição. Eleita pelos colegas pelo segundo ano consecutivo para a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), Roseni acredita na importância do papel que exerce e explica: “A função da CIPA é contribuir com a empresa na prevenção de acidentes de trabalho, através de levantamentos e inspeções nas diversas áreas, além de reuniões da comissão”.

Leia mais →

Consolidação e comprometimento

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com cerca de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho do Setor de Contabilidade e Patrimônio (Secop).

Quem faz? Subordinado à Gerência de Orçamento e Finanças e à Diretoria de Administração e Finanças, o setor é composto por 14 empregados, a maior parte deles com formação técnica ou superior em contabilidade, além de três estagiários.

O que faz? O Secop divide-se em quatro áreas: patrimônio, contabilidade societária, contabilidade pública e área fiscal.

Leia mais →

Responsabilidade com o dinheiro público

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com mais de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho do Setor de Pagamentos e Receitas (Separ).

Quem faz? A equipe do Separ é composta por dez empregados: dois técnicos em contabilidade, quatro técnicos em administração e quatro administradores, incluindo o chefe do setor. Também fazem parte da unidade quatro estagiários de nível superior: três cursam administração de empresas e uma, faculdade de ciências contábeis.

O que faz? O Separ é o setor financeiro da Trensurb que controla e centraliza todos os pagamentos da empresa e também controla as receitas. A unidade operacionaliza todos os pagamentos, desde os itens mais simples comprados, como parafusos, até as compras mais complexas e de grande monta como a dos novos trens, o contrato de expansão a Novo Hamburgo e a folha de pessoal.

Além disso, a unidade controla e registras todas as receitas da Trensurb, como as financeiras e comerciais, além da arrecadação das estações (receita operacional), controlada diretamente através de tesouraria na empresa de transporte de valores.

Leia mais →

Contabilidade, voluntariado e viagens

O técnico em contabilidade Esequiel Reimers Dalmas, de 25 anos, ingressou na Trensurb em dezembro de 2011 e trabalha no Setor de Pagamentos e Receitas. Ele atua na emissão de faturas de permissionários, classificação de recebimentos e compensação de tarifas. “Eu aprendi bastante aqui na empresa”, afirma. O técnico monitora toda a receita da Trensurb diariamente na bilhetagem eletrônica, atuando em conjunto com o Setor Comercial, para que sejam calculadas as compensações de cada integração.

Quando foi convocado para assumir seu cargo na empresa, vivia na Grande Belo Horizonte. “Morei na comunidade Ele Clama, que é uma comunidade terapêutica para dependentes químicos onde eu trabalhava como voluntário”, relata. Foi lá que conheceu a esposa, Patrícia, com quem é casado há um ano. Esequiel conta que ela frequentava uma igreja que auxiliava a comunidade com doações e mantimentos.

Natural de Portão, ele mora hoje em São Leopoldo. Gosta de jogar futebol com os amigos, assistir filmes de ação, comédia, ficção científica e séries da Marvel. Também gosta muito de viajar e diz que os lugares mais interessantes que visitou foram Haiti e Moçambique. “Foi muito legal conhecer esses lugares, foi um choque de realidade, conheci várias aldeias e culturas diferentes”, afirma.