Porto Alegre: 244 anos de história, 31 anos com o metrô

No dia 26 de março, é comemorado o aniversário da capital gaúcha, Porto Alegre. Há 244 anos, em 1772, era fundada como Freguesia de São Francisco do Porto dos Casais. Em 1821, ganhou o status de cidade graças ao imperador Dom Pedro II. Atualmente, Porto Alegre integra o pólo turístico do Estado e, sob diversos aspectos, é considerada modelo para o país. A Trensurb opera na capital há 31 anos, ligando-a hoje a outros cinco municípios. Atualmente, a população da capital gaúcha é de 1,47 milhão de habitantes, em uma área que se estende por de 496,7 quilômetros quadrados. Com sete estações do metrô gaúcho (incluindo o aeromóvel) localizadas na cidade, a estação terminal Mercado foi a que mais teve acessos de usuários em 2015 dentre todas que integram o sistema metroviário, com 8,95 milhões de passageiros.

Banhada pelo Lago Guaíba, circundada por dezenas de morros, terra de Inter e Grêmio, de domingos ensolarados nos parques e tema de canções e poemas, “Porto Alegre é demais”. Atrai cada vez mais pessoas em busca de oportunidades, de um lugar para viver, ou mesmo turistas e moradores de outras cidades e países em busca de lazer e/ou momentos e lugares únicos que só a capital gaúcha oferece.

Leia mais →

Mantendo o aeromóvel nos trilhos

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com mais de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho da Coordenação de Desenvolvimento de Manutenção (CDM).

Quem faz? A equipe da CDM conta com dez pessoas: técnicos mecânicos, em eletrônica e eletrotécnicos, além de assistentes de serviços gerais. A unidade está subordinada ao Centro de Desenvolvimento Operacional aplicado à Tecnologia Aeromóvel (Cedaer) e à Superintendência de Desenvolvimento e Expansão (Sudex).

O que faz? Dá assistência de manutenção às diversas partes que compõem a conexão metrô-aeroporto via tecnologia aeromóvel: veículos A100 e A200, grupos motopropulsores, via permanente, compressores, grupo gerador, subestação de energia, dutos de ar e via elevada. Segundo o técnico Sérgio Luís Russo, o trabalho da unidade organizacional consiste, basicamente, em “manter o sistema em funcionamento, fazendo a conexão do trem ao aeroporto, facilitando o deslocamento dos usuários do metrô”. A área recebe demandas da Sudex, do Cedaer e das coordenações de Desenvolvimento de Projetos, Estudos e Pesquisas (CDP) e de Desenvolvimento Operacional (CDO) do aeromóvel.

Leia mais →

Mecânico, pescador, agricultor e viajante

Jorge Roberto dos Santos Mortágua, de 53 anos, assistente de serviços da Trensurb, é pai de quatro filhos. Wagner, Igor, Franci e Katriel. Tem também duas netas, Alichia, de sete anos, e Ana Julia, de nove. Mortágua, como é conhecido na empresa, trabalha na Coordenação de Desenvolvimento de Manutenção (CDM) do aeromóvel, auxiliando e efetuando serviços de manutenção no sistema.

Quando questionado sobre sua função na empresa, brinca: “Nem sei mais qual função é a minha, já passei por tantas. Só sei que, no momento, sou responsável pela manutenção do aeromóvel”. Antes de trabalhar no CDM, ele passou por vários outras áreas, como o Setor de Operações, os antigos setores de Manutenção Leve e de Manutenção e Obras e, por último, o Setor de Apoio. Na empresa há 28 anos, recém completados no dia 20 de outubro, ele conta que trabalhou em alguns lugares antes de ingressar na Trensurb, como em uma oficina mecânica: “Em Pelotas, atuei como mecânico em uma oficina, onde arrumávamos carros, caminhões e diversos outros veículos”.

Leia mais →

Planejando o aeromóvel do futuro

Para que os trens (e o aeromóvel) operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com mais de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho da Coordenação de Desenvolvimento de Projetos, Estudos e Pesquisas (CDP) da tecnologia aeromóvel.

Quem faz? A equipe tem três membros: dois engenheiros eletricistas, sendo um especialista em automação industrial e eficiência energética, e um engenheiro civil.

O que faz? A CDP tem como objetivo participar do planejamento e desenvolvimento operacional aplicado à tecnologia aeromóvel. Para tal, desenvolve programas de trabalho para apreciação e aprovação junto ao Centro de Desenvolvimento Operacional aplicado à Tecnologia Aeromóvel (Cedaer) e à Superintendência de Desenvolvimento e Expansão (Sudex), aos quais está subordinada. O intuito é subsidiar a implantação e consolidação da tecnologia aeromóvel no mercado.

Como faz? Para disseminar a tecnologia, desenvolve estudos técnicos de viabilidade contemplando os princípios de funcionamento do modal, como o sistema de propulsão, supervisão e controle, energia, via, estações e veículos. Também apoia planos, estudos e relatórios elaborados pelas demais coordenações do Cedaer: de Desenvolvimento Operacional (CDO) e Desenvolvimento de Manutenção (CDM). Para tal, participa dos projetos de capacitação para a operação e manutenção dos sistemas implantados da tecnologia e supervisiona os trabalhos de desempenho técnico, auxiliando na organização e atualização do arquivo geral de documentação técnica da Trensurb.

De acordo com o coordenador da CDP, Davi Vital, o lema da coordenadoria é “fazer com o que a tecnologia aeromóvel seja sempre aperfeiçoada e totalmente conhecida para os interessados em implantá-la”. Atualmente, o foco da CDP é o aeromóvel que liga a Estação Aeroporto do metrô ao Terminal 1 do Salgado Filho. “Estamos acompanhando a execução do contrato e fiscalizando suas entregas com atenção ao mapeamento dos processos de trabalho das unidades organizacionais compreendidas pelo Cedaer. Em paralelo a isso, desenvolvemos projetos que estejam ligados à tecnologia”, diz.

Recentemente, houve trabalhos junto aos setores de Planejamento e Projetos de Mobilidade Urbana (Semob) e de Projetos e Obras Civis (Sepro) na elaboração do projeto da oficina para o aeromóvel, que garantirá a infraestrutura necessária para que a equipe de manutenção realize as atividades necessárias ao bom andamento do sistema. “Temos feito estudos de consumo energético visando reduzir o impacto financeiro para a empresa e o ambiental para a sociedade. Outras atividades objetivam trazer mais segurança e conforto para os usuários”, conta Davi.

Onde fica? Localizado no pavilhão metálico do pátio administrativo da Trensurb, próximo à Estação Aeroporto do metrô.

Foto por Fernanda Garrido (58)

Milhares de pessoas passam pela Mathias Velho

Entre as 22 estações da Linha 1 da Trensurb, a Mathias Velho é uma das mais movimentadas. Neste ano, foram quase quatro milhões de usuários embarcando no metrô por meio da estação até o presente momento. Isso se deve ao fato de estar localizada no bairro mais populoso de Canoas que, não por coincidência, dá o nome à estação.

O entorno contribui para o grande fluxo de pessoas na Mathias Velho. Além dos moradores, ela ainda recebe os usuários de um terminal de integração localizado do lado da estação e também quem compra no variado comércio próximo. Pensando nisso, a Trensurb e Prefeitura Municipal de Canoas firmaram termo de cessão da área do terminal de integração multimodal, que será destinada à construção de um centro popular de compras, o Shopping Popular Mathias Velho, que deve acompanhar a remodelação do terminal. A cessão do espaço à administração municipal tem prazo de 25 anos, prorrogáveis por mais 10. O termo firmado prevê, ainda, o suporte à futura construção de mais dois andares superiores, que seriam destinados ao estacionamento de automóveis, motocicletas e bicicletas, facilitando a integração com o trem. Para o consultor especial da Trensurb, Rubens Pazin, que acompanha o projeto, o empreendimento significa benefícios para todos: “Ganham os ambulantes, o empresário que administrar o local, os usuários, a Trensurb, a Metroplan e o município. Tudo isso porque uma área da cidade será qualificada”.

Outro projeto que promete melhorar o acesso à Estação Mathias Velho e a mobilidade em Canoas é o aeromóvel. A Trensurb e a prefeitura firmaram um protocolo de cooperação para desenvolver um estudo de viabilidade técnica e econômica a respeito da implantação do aeromóvel, que ligará os bairros Mathias Velho e Guajuviras à estação do metrô. O projeto já tem os recursos garantidos pelo Ministério das Cidades para sua implantação. O trecho ligará a Estação Mathias Velho da Trensurb à Avenida 17 de Abril, no Bairro Guajuviras. Essa primeira etapa terá 5,9 quilômetros e nove estações.

Com base no constante incentivo da Trensurb a projetos culturais, no dia de hoje (19), a estação receberá uma visita singular. Isso porque, às 18h, ocorrerá a instalação do piano Schwartzmann customizado pelo artista Cadu Peixoto. A inauguração será marcada por uma apresentação de jazz do pianista Renato Borba. O projeto Piano Livre propõe a colocação de dez pianos em locais públicos de Porto Alegre e Canoas, providos de segurança e protegidos de variações climáticas. Qualquer pessoa poderá utilizar os pianos para tocar como e o que desejar. Os instrumentos permanecerão instalados até abril de 2015, quando serão remanejados, possivelmente dando continuidade a novos projetos.

Foto Marco Pecker (20)

Mais tempo para aproveitar a conexão metrô-aeroporto

Foto Marco Pecker (20)

 Hoje tem novidade circulando desde as 6h30 da manhã para quem pega o trem com destino ao Aeroporto.

A Trensurb ampliou o horário de funcionamento da conexão entre a Estação Aeroporto e o Terminal 1 do Salgado Filho através da tecnologia aeromóvel.

A operação assistida do aeromóvel com o veículo A100 (capacidade para 150 passageiros) agora ocorre das 6h30 às 16h, ainda de segunda a sexta e sem cobrança para os usuários da Trensurb.

O A200, com espaço para transportar até 300 pessoas, deve circular pela via em breve, mas fora do horário de operação, para a realização de testes dinâmicos.

Tecnologia limpa e sustentável

Sem poluição, sem danos ao meio ambiente, totalmente sustentável e tecnologia 100% nacional. O veículo com tecnologia aeromóvel é silencioso e rápido – graças a ele, os usuários se deslocam da estação da Trensurb ao Aeroporto em dois minutos. Sua movimentação acontece com a força do ar, sem queima de combustível.

E aí? Já andou de Aeromovel?