PERFIL: TÉCNICO METROVIÁRIO DECIDIU SEGUIR O SONHO DE SER EDUCADOR FÍSICO

Jean Goulart Neujahr tem 29 anos, é natural de Pelotas, mas reside em Porto Alegre desde 2016. Há sete anos na Trensurb, ele trabalha como técnico em eletrotécnica no Setor de Sinalização (Sesin).

Jean iniciou sua formação profissional em 2008, na Escola Técnica Liberato Salzano Vieira da Cunha, em Novo Hamburgo, com o curso de eletrotécnica. Em 2011 e 2012, Jean realizou seu primeiro estágio em uma empresa de sistemas elétricos em Porto Alegre, tendo a oportunidade de conhecer várias partes do Rio Grande do Sul: “Passei por mais de 40 municípios do nosso estado, grande maioria na parte norte”. Depois disso, ele atuou em um fornecedor de rolamentos e retentores também na capital e, em 2013, concluiu o curso técnico. Nesse mesmo ano, ele prestou o concurso público da Trensurb e trabalhou em uma empresa de construção no município de Portão. Em 2014, chegou a atuar no Polo Petroquímico de Triunfo até que, em março, foi convocado para assumir a vaga no Setor de Sinalização da Trensurb, onde permanece até hoje.

As principais funções de seu trabalho envolvem questões como a responsabilidade pelos equipamentos de comunicação – rádio e telefonia –, da linha de bloqueios das estações e de sinalização. É o trabalho da equipe do Sesin que possibilita a comunicação do Centro de Controle Operacional com os trens e estações, assim como o monitoramento e controle da situação da via de forma remota. Uma curiosidade interessante sobre sua rotina refere-se aos relógios analógicos das estações: “Todos os relógios das estações apresentam o mesmo horário. Há um sistema de sincronismo desses relógios e eles trocam o horário ao mesmo tempo”, conta Jean.

O ambiente na empresa e dentro de sua equipe fizeram com que ele se sentisse livre e confortável para seguir seus sonhos. Jean iniciou uma faculdade de Engenharia Elétrica assim que entrou na Trensurb, mas percebeu que não tinha vontade de seguir o curso. Foi então que, com o apoio dos colegas, ele iniciou a graduação em Educação Física na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). “No ambiente de trabalho em que estou inserido, há pessoas ‘jovens há mais tempo’ que eu e os tenho como amigos. Diversas foram as conversas sobre a vida e a importância de fazermos o que gostamos”, relata. Atualmente, ele está no sexto semestre do curso e tem vontade de atuar como personal trainer e também em algum time de futebol. Seus objetivos profissionais envolvem realizar estudos de longo prazo acompanhando algum time de futebol internacional: “Um sonho que pretendo realizar é trabalhar em algum time da elite do futebol mundial, mais especificamente de algum time europeu”.

No seu tempo livre, o técnico gosta de viajar. Ele já fez, inclusive, um intercâmbio na Irlanda, entre 2018 e 2019, para estudar a língua inglesa. “Nos meus aniversários sempre recebo felicitações me desejando bastante viagens. Espero que consiga realizar tantas quanto eles me desejam (risos)”, brinca Jean. Além de viajar, ele tem paixão por futebol: “Viajar e jogar futebol são duas coisas que eu não pretendo abrir mão de fazer. Seja na hora de escolher algum lugar para morar e algum trabalho que venha fazer, onde quer que eu vá, estarei buscando uma forma de conhecer novos lugares e participar de algum time de futebol amador”. Atualmente, o técnico mtroviário é integrante do time de futebol que representa a Trensurb em campeonatos do Sesi. A corrida também faz parte de sua rotina e é algo que o acalma: “Eu gosto de correr perto de casa, principalmente quando me sinto muito agitado e com a cabeça a mil. Aí eu corro uns cinco ou sete quilômetros e fico mais tranquilo”.

Tocar violão e escrever músicas são hobbies de Jean. Ele até já escreveu uma música sobre uma história um tanto inusitada que viveu na China. Em um ano novo chinês, enquanto estava na Irlanda, decidiu ir para a China visitar uma prima que residia lá, porém acabou viajando sem fazer o visto para entrar no país. “Mas isso só aconteceu devido a uma má interpretação de minha parte com relação ao visto de trânsito em alguns aeroportos”, explica. Viajantes que desembarcam no aeroporto de Guangzhou, cidade próxima a Hong Kong, podem permanecer até 72 horas sem visto, porém tanto o voo de chegada quanto o de saída precisam ser voos internacionais. Caso haja alguma conexão dentro do país, é obrigatório possuir o visto. E foi aí que se deu o mal-entendido: “Eu estava fazendo intercâmbio na Irlanda quando comprei passagens para ficar 72 horas no país, para conseguir visitar minha prima e não precisar de visto, porém, no meu voo de volta, tinha uma escala em outro aeroporto dentro da China. Por causa disso não consegui visitar minha prima na casa dela”. Foi a partir dessa experiência que ele escreveu a música e lançou em seu canal do YouTube. Hoje, Jean está focado em concluir seus estudos para poder voltar a viajar pelo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *