O Coletivo Câmeras Passeadeiras e seu olhar artístico sobre a cidade

A Galeria Xico Stockinger, na Estação Rodoviária da Trensurb, está recebendo a exposição fotográfica Cultura Viraliza: Circo e Cidade. A mostra traz registros de intervenções circenses nas ruas de Porto Alegre, comemorativas ao aniversário da capital e ao Dia Nacional do Circo, realizadas em março pela Associação de Circo numa ação proposta pelo Sesc-RS. As imagens foram produzidas pelo coletivo de fotografia Câmeras Passeadeiras. Fotógrafos do grupo estiveram na Galeria na terça-feira (2), para a inauguração da exposição, e aproveitamos a ocasião para conversar com Silvana Morandi, coordenadora do Câmeras Passeadeiras, sobre as atividades do coletivo.

Silvana fundou o grupo para afastar a ideia de sair para fotografar sozinha. Apaixonada pela fotografia e com um entusiasmo por capturar momentos e contar histórias através das imagens, a artista voou alto em seu sonho e aterrissou com os dois pés no chão. Morandi fundou o grupo e logo já se viu rodeada por olhares inquietos e entusiasmados por registrar o mundo do outro através de sua principal ferramenta: o olhar.

Criado em 2015, o coletivo conta com cerca de 30 pessoas. O valor de seu trabalho está na diversidade e na heterogeneidade de seus colaboradores. Suas exposições causam movimentação e provocam a curiosidade de quem passa, para e fixa o olhar sobre a imagem. A maior parte de suas exposições são intervenções artísticas dentro de espaços urbanos. Seus varais fotográficos enfeitam árvores e trazem impressões, capturas de tempo, lembranças contadas através da arte.

Morandi quer alcançar olhares curiosos não apenas dos amantes de fotografia, mas também daqueles que nunca sequer tiveram a oportunidade de ir a uma exposição. “O grande lance das exposições são essas intervenções de rua, em locais públicos e não em galerias fechadas”, afirma a fotógrafa, que destaca a importância de levar a arte para todos os cantos de Porto Alegre, viabilizando o acesso, e assim encantar pessoas.

Nos quatro anos de coletivo, muitas pessoas entraram conforme o passar do tempo, e poucas saíram. Atualmente, interessados em compor o grupo e participar de projetos futuros devem ser indicadas. “Iniciávamos um projeto e sempre batia uma insegurança por não conhecermos a pessoa”, diz Morandi, que vê mais segurança em trabalhar, hoje, com pessoas já conhecidas por seus colegas.

Além das exposições, os fotógrafos também promovem palestras e workshops sobre fotografia, levando conhecimento e aprendizado a pessoas que não dominam a ferramenta, mas aspiram viver da arte ou tomá-la como um hobby. O coletivo costuma também fazer viagens para determinados lugares, em busca de novidades, lugares com ambientes para explorar, espaços em que fluem olhares criativos e atentos sobre aquela beleza única, vista e capturada por visões diferentes.

A organização dos projetos e das saídas de campo é combinada através de grupos em aplicativo de mensagens. O coletivo comunica-se frequentemente e as reuniões são trocas de ideias sobre temas a serem abordados nas exposições e lugares interessantes para se fotografar. Segundo a organizadora, o grupo sempre toma as decisões em conjunto, de forma a suprir as necessidades de todos, dialogando sobre amplas possibilidades. Silvana relata que nem sempre todos os fotógrafos conseguem participar das viagens e, quando acontece um passeio, normalmente se faz um grupo fechado com aqueles que estão participando do projeto. Os passeios são feitos uma vez por mês e as fotos de cada um são compartilhadas com todos dentro de um grupo no Facebook. Após o compartilhamento das imagens, é feita uma enquete com todos e, assim, são escolhidos os melhores trabalhos, que ganham os ares da cidade.

Sobre a exposição em cartaz na Galeria Xico Stockinger, Morandi afirma se tratar de um dos principais trabalhos do coletivo. Ela também ressalta a importância de se promover a cultura dentro das estações: “A Trensurb está possibilitando levar a arte para as pessoas”. Para a fotógrafa, nem todos têm a chance de apreciar a arte dentro de galerias e museus, e locais públicos, onde há um fluxo imenso de pessoas, possibilitam a filtragem e absorção da imagem por diferentes olhares.

A exposição Cultura Viraliza: Circo e Cidade fica exposta na Galeria Xico Stockinger, na Estação Rodoviária da Trensurb, até 27 de setembro, todos os dias, das 5h às 23h20.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *