Atuando por uma operação segura

Para que os trens operem todos os dias, a Trensurb conta com um quadro funcional com mais de mil empregados que atuam em diversas áreas e garantem o bom funcionamento do metrô, o planejamento e a gestão da empresa. As 48 unidades organizacionais da Trensurb estão divididas entre três diretorias, duas superintendências, 14 gerências, 28 setores e um órgão de auditoria interna. Conheça o trabalho do Setor de Sinalização (Sesin).

Quem faz? 30 técnicos (eletrotécnicos, eletrônicos, mecânicos e de telecomunicações), 16 assistentes de serviços de manutenção, três engenheiros (eletricistas e eletrotécnicos), um assistente de serviços administrativos e uma estagiária.

O que faz? As atividades desenvolvidas pelo Sesin incluem a manutenção dos sistemas: de sinalização e segurança do trem, que monitoram e comandam todas as movimentações dos veículos, controlando sua performance de velocidade; de telecomunicações – toda a rede de telefonia da empresa, com 753 ramais; de radiocomunicação, entre o Centro de Controle Operacional (CCO) e os trens; de telecontrole de energia, que propicia o comando dos equipamentos das subestações e cabinas de energia; de sincronismo horário em todas as estações e CCO; de sonorização, que faz a comunicação com os usuários através de alto-falantes nas estações; de circuito fechado de TV (CFTV), com monitoramento por câmeras nas estações; de bilhetagem eletrônica, com atendimento de primeiro nível nas estações; e de cabeamento da rede de computadores.

Como faz? De acordo com o chefe do setor, Antonio do Valle, a atuação do Sesin “é indispensável para a operação segura de trens, controle operacional de tráfego, energia e estações, e das atividades administrativas, como rede e telefonia”. Atuante 24 horas por dia, a unidade distribui suas ações em: plantão de manutenção corretiva, que atua para que os sistemas e equipamentos em falha estejam rapidamente disponíveis para operação; manutenção preventiva noturna, com as atividades periódicas de revisão e foco em evitar ações corretivas; laboratório, responsável pelo conserto de equipamentos eletroeletrônicos do setor numa gama diversa de equipamentos, além de desenvolver soluções mais baratas para dispositivos fora de linha, como lâmpadas de sinaleiro (substituídas por LEDs); alterações e instalações de pontos de telefonia e de rede de computadores, bem como de manutenção em câmeras e monitores do sistema de CFTV, além de apoio técnico, programação e planejamento, distribuindo as atividades entre as equipes com suas prioridades. Simão Waschburger, técnico em eletrônica, atua há sete anos no Sesin. Para ele, é um ótimo local para quem atua na área técnica: “É muito bom, um desafio”.

Onde fica? No prédio da Gerência de Sistemas, no pátio de manutenção da empresa, no bairro Humaitá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *