Acyr (à esq.) recebe doação em edição da campanha na Usina do Gasômetro

A estação do frio se aproxima e a solidariedade com os animais desembarca na Trensurb

Chega o inverno e as pessoas pensam em todas as campanhas do agasalho que são realizadas por diversas empresas, instituições e ONGs, mas existe outro “público” que é esquecido nesta época: os animais abandonados. Seguindo com suas atividades socioambientais, a Trensurb apoia outras iniciativas do mesmo cunho, tais como a Campanha da Ração na Usina, promovida pelo metroviário Acyr Winckler Martins. Ele, que atua hoje na Estação Mercado, também trabalha na defesa de animais em situações de vulnerabilidade. Desde 2005, quando ele e sua esposa, Ceres, decidiram trocar um apartamento na capital por um sítio em Viamão, local onde construíram diversos canis. Assim foi criado o Abrigo Cannis Luppus.
A ideia de amparar cães surgiu quando Winckler trabalhava na Estação Esteio e viu um cão sendo atropelado, permanecendo vivo na rua onde circulavam diversos carros. “Ele (o cachorro) ficou com os taxistas até o final do meu turno e só aí pude levá-lo ao veterinário”, conta. Ele ainda complementa a história dizendo que “o cachorro, depois de complicações durante a cirurgia para corrigir a fratura, foi acolhido por nós até o fim de sua vida”.

O primeiro cão resgatado por Winckler foi chamado de Bonŝanca, que em esperanto significa sortudo, foi a faísca para um projeto muito maior que é o próprio abrigo, já que diversos animais estão na mesma situação de vulnerabilidade devido a maus tratos e abandono por parte de seus donos.Uma das preocupações do abrigo é o crescimento desenfreado da população de cachorros de rua, que depois de abandonados acabam procriando. Mesmo sem parceria ou convênio com clínicas veterinárias, todos os cães acolhidos são castrados e acomodados até que ganhem um novo lar.

Hoje, o Cannis Luppus, nomenclatura alusiva ao nome científico do Lobo-Cinzento, possui mais de 250 cães resgatados e sua principal dificuldade em manter o acolhimento dos animais é a alimentação diária. Cada um dos abrigados consome cerca de 400g de ração por dia e custear a comida para todos eles é inviável, pois o abrigo não recebe ajuda financeira de nenhuma entidade, ONG ou da administração pública.

Para suprir a necessidade, que atualmente é de 3 toneladas de ração por mês, o que equivale a aproximadamente 37 cães da raça São Bernardo, em 2008 foi criada a campanha mensal para arrecadação, sempre ao lado da chaminé da Usina do Gasômetro, em Porto Alegre.  Para colaborar com o abrigo, basta ir até a Usina do Gasômetro, nos dias 30 e 31 de maio, entre às 9h e 18h, e doar um saco de ração, independente da marca ou do peso do pacote. Para quem não pode se deslocar até o local, há uma parceria com um armazém de rações que efetua a venda com desconto, pelos telefones (51) 3322-1851 e 3384-2867, entregando diretamente no abrigo. A empresa recolhe o valor na casa do doador ou fornece número de conta bancária para realização de depósito.

Quem não pode colaborar com ração, mas pode ajudar com remédios, camas, casinhas e cobertores, pode entrar em contato com o próprio Acyr Winckler pelo fone (51) 9911-9910 ou através do email cannisluppus@gmail.com. Para adotar um amigo de quatro patas é necessário agendar um horário de visita ao abrigo pelos mesmos meios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *