Gilberto

34 anos de paixão pela profissão

Gilberto Nunes da Silva, 57 anos, é natural de Santo Antônio da Patrulha e morador de Esteio. Gilberto é assistente de serviços gerais no Setor de Oficina (Seofi) da Trensurb e atua na supervisão dos trabalhos de manutenção dos veículos ferroviários e rodoferroviários auxiliares, realizados pelas empresas contratadas. Metroviário há 34 anos, iniciou sua história na Trensurb antes mesmo de ingressar na empresa: em 1982, teve a oportunidade de participar das obras de implantação da Linha 1 quando trabalhava na contratada CR Almeida. Graças ao bom trabalho, foi convidado por um empregado da Trensurb para participar da seleção para atuar na empresa e, em 1985, tornou-se parte do efetivo da estatal. Desde então, trabalha na manutenção, na área onde são realizados os serviços preventivos e corretivos principalmente nos veículos auxiliares utilizados na manutenção da via.

Ao falar da importância da implantação da linha metroviária, Gilberto recorda: “Eu lembro a dificuldade que tínhamos de sair de Canoas para trabalhar em Porto Alegre antes da Trensurb, ficávamos horas dentro dos ônibus lotados”. E ele conclui: “Posso dizer com toda certeza que a empresa facilita a vida das pessoas, que agora ficam minutos dentro do trem para irem de uma cidade a outra”.

Após anos de experiência acumulados na Trensurb, o assistente resolveu participar do processo de progressão interna em 2010, para uma função de supervisão. Ele se classificou, porém não pôde assumir a posição de imediato porque não tinha o diploma do ensino médio. Gilberto então fez o curso de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e obteve seu diploma num período de um ano e três meses. Depois disso, conseguiu assumir a função de supervisão.

Ao falar da rotina profissional, afirma: “Sempre tive um ambiente de trabalho muito bom aqui, nunca foi estressante e a equipe sempre foi competente”. Gilberto acredita que “temos que fazer o que gostamos pra fazer com vontade, se nós trabalharmos com algo que não gostamos, não vamos ser felizes naquilo”. Atuando por mais de três décadas na mesma área, ele destaca, além do prazer no trabalho, os laços formados com os colegas ao longo dos anos, inclusive os que já deixaram a empresa: “Somos muito conectados com o pessoal que já trabalhou aqui”. Diferente deles, o assistente diz que não está preparado para encerrar sua jornada na Trensurb: “Eu ajudei a construir parte da empresa e hoje eu tenho um carinho muito grande por ela. Quando eu tiver que parar de trabalhar aqui, vou ter que me preparar muito”.

Viúvo desde 2014, Gilberto tem duas filhas, um filho e três netos. “Meu sonho é ver meus netos crescerem tranquilos, estar na volta deles e levá-los pra passear”, conta ele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *