Wellington Marques (2)

Um amor além das fronteiras

Natural de Esteio e morador de Sapucaia do Sul, Marco Antônio de Souza da Silva, 41 anos, atua desde 2015 como técnico em eletrotécnica no Setor de Energia da Trensurb. Suas responsabilidades na empresa incluem a manutenção dos equipamentos a fim de garantir a confiabilidade, disponibilidade e segurança no fornecimento de energia elétrica de tração dos trens. “Em nossas atividades no Senerg, não temos rotina, nós trabalhamos com demandas de manutenção corretiva, preventiva e emergencial, em que temos que sair e botar para funcionar o sistema”, afirma.

Em seu tempo livre, o metroviário mergulha nos livros, principalmente na literatura russa, com nomes como Liev Tolstói, Fiodor Dostoiévski e Boris Pasternak. “Minha mulher me influenciou na leitura e agora sou apaixonado por romance e literatura russa”, conta, indicando livros como Ressurreição e Doutor Jivago. Marco também pratica corrida e caminhada. Em sua rotina esportiva, sai de sua casa e percorre cerca de nove quilômetros indo e voltando das proximidades da Estação Luiz Pasteur.

Marco e sua esposa têm uma história de amor digna de cinema, com alguns obstáculos que dificultaram o romance, mas que, com o desenrolar dos acontecimentos e algumas reviravoltas, teve um final feliz para o casal. Com crenças religiosas em comum, o metroviário se apaixonou tendo a certeza de que teria que cruzar oceanos: “Nós tínhamos um grupo de testemunhas de Jeová em comum no Facebook. Nisso, ela me apareceu como sugestão de amizade e eu a adicionei. Começamos a conversar, fomos nos conhecendo e desenvolvemos um sentimento um pelo outro”.

Iuliia Yuriev’na Shuvalov morava na Rússia. O nome de sua cidade natal, Zheleznodorozhny, significa “estrada de ferro”, devido ao grande número de ferrovias na região. Em março de 2016, quatro meses depois de sua primeira viagem ao Brasil, diante de muita saudade, Iuliia teve certeza de que seu verdadeiro lar era ao lado de Marco. Foi então que decidiu se mudar para o país. “Ela voltou para a Rússia para resolver as papeladas, documentações que tinha que fazer para ficar aqui no Brasil. Daí, depois de seis meses de espera, por conta da lei de imigração, ela voltou para se casar comigo”, conta o metroviário.

No início, Marco precisou dar muito apoio a Iuliia, que sofria por não conseguir compreender o português, comunicando-se apenas em inglês. Com muito suporte do marido e após iniciar os estudos da língua portuguesa em uma escola para russos, ela começou a se familiarizar com o novo idioma. Iuliia é confeiteira profissional e faz doces russos artesanais por encomenda. Feliz com a esposa e no trabalho, Marco enxerga a Trensurb como um lar e tem vontade de seguir carreira na empresa. Formado em engenharia mecânica em novembro de 2019, ele espera uma oportunidade para quem sabe poder trabalhar na área de engenharia do metrô gaúcho.

Agnaldo Silva, mais conhecido como Baloy, pratica artes marciais há dez anos e vem se destacando em competições desde 2016

Metroviário da Trensurb vai representar o Brasil no Mundial de Jiu-Jitsu em Las Vegas

Na agenda da Federação Internacional Brasileira de Jiu-Jitsu, os dias 25, 26 e 27 de agosto serão marcados pela competição mundial da categoria, sediada em Las Vegas. Entre os brasileiros selecionados para representar o país na disputa, está o agente da segurança metroviária da Trensurb, Agnaldo Silva, mais conhecido como Baloy. O metroviário de 40 anos pratica artes marciais há dez e vem se destacando em competições desde 2016. No ano passado, chegou ao topo do ranking da Federação de Jiu-Jitsu do Estado do Rio Grande do Sul (FJJ-RS).
Baloy conta que as artes marciais entraram em sua vida bem cedo, mesmo que não profissionalmente: “Meu primeiro contato foi praticando capoeira, ainda bem novo. Meu tio, Rudi, tinha que direcionar a minha energia e a dos meus primos”, ele relata. Já adulto, outras práticas entraram em sua rotina: “Iniciei, há 10 anos, com o muay thai, cheguei a realizar algumas competições, depois passei para o boxe e, atualmente, o jiu-jitsu veio a acrescentar”.
O metroviário, que faz parte da equipe da segurança há 16 anos, relata que foi surpreendente para os colegas da Trensurb descobrirem que ele foi selecionado para lutar no mundial: “A reação da maioria foi de surpresa, pois eu sou um pouco discreto e poucos sabiam que eu competia”. Além dos treinamentos para competir a nível mundial, o maior desafio de Baloy atualmente é de arrecadar fundos para custear a viagem. Com a boa classificação nas últimas competições ele ganhou as passagens aéreas, mas ainda é necessário custear estadia, alimentação e outras despesas.
“Se eu ganhar essa medalha ela não será só minha e da Academia Carvalho, onde treino, mas também da segurança, do Setor de Operações, do Setor de Tráfego, enfim, da Trensurb como um todo, pois vários colegas estão torcendo e me ajudando. Outra fonte de ajuda tem sido minha família e as cidades de Terra de Areia, Sapucaia e Tramandaí. Essa medalha é nossa”, afirma o metroviário.
Interessados em apoiar Baloy para que ele represente o Brasil no mundial podem buscar mais informações entrando em contato com a Academia Carvalho pelo telefone (51) 3034-1108 ou pelo instagram @baloy.silva. Outra opção é a arrecadação online que pode ser acessada clicando aqui.

Nova unidade do Espaço Multicultural Livros sobre Trilhos, biblioteca da Trensurb, foi inaugurada em março de 2019, na Estação Novo Hamburgo

2019 NA TRENSURB: CULTURA, SUSTENTABILIDADE E INTEGRAÇÃO À COMUNIDADE

Desde antes mesmo do início da operação do metrô, nos anos 1980, a Trensurb busca ir além de sua missão – transportar pessoas de forma rápida, segura e com qualidade, de modo sustentável. Por meio de ações sociambientais, culturais e de relacionamento, a empresa procura fortalecer laços com as comunidades em que se insere e impactar positivamente as vidas dos usuários e da população em geral. Conheça as principais ações desse tipo e seus resultados em 2019.

Incentivo à leitura

Em 26 de março, a Trensurb inaugurou uma nova unidade de sua biblioteca, o Espaço Multicultural Livros sobre Trilhos (EMLsT), na Estação Novo Hamburgo. A unidade original, na plataforma de embarque da Estação Mercado, é mantida pela empresa desde 15 de dezembro de 2008. Com um catálogo de 9,5 mil exemplares (dos quais cerca de 2 mil estão na unidade hamburguense), o EMLsT oferece serviço gratuito de empréstimo de livros, além de um espaço para exposições artísticas e fotográficas na Estação Mercado. No ano passado, foram 7,5 mil empréstimos, e 1,1 mil novos sócios, fazendo com que o quadro de associados chegasse a 7 mil cadastrados. Expandido apenas por meio de doações, o acervo ganhou cerca de mil novos exemplares.

O projeto de compartilhamento de livros intitulado Livros Livres foi reformulado em julho de 2019. Anteriormente, as publicações eram disponibilizadas em caixas customizadas em algumas estações. Em nova fase, passou a promover pelo menos duas ações mensais – uma na Estação Mercado e uma na Estação Novo Hamburgo – com a distribuição de livros no interior dos trens. No ano passado, foram 15 edições e 1.490 exemplares distribuídos, oriundos sobretudo de uma parceria com o Banco de Livros.

Já o projeto Historiando oferece, desde 2017, atividades de mediação de leitura na estações do metrô para alunos da rede pública e jovens atendidos por instituições assistenciais. Realizado em parceria com o Sesi-RS e o Banco de Livros, o projeto teve duas ações em 2019, contando com um total de 42 participantes de Sapiranga e São Leopoldo.

Artes visuais

Em 27 de fevereiro, a Trensurb apresentou ao público o painel Os cavalos, do artista Ale Maia e Pádua. Em exibição permanente na Estação Luiz Pasteur, a obra homenageia o município de Sapucaia do Sul. Sua instalação também foi uma das ações comemorativas aos 34 anos de operação do metrô, completados em março de 2019.

Em 24 de abril, foi inaugurada na Estação Rodoviária do metrô a Galeria Xico Stockinger, batizada em homenagem ao centenário do artista falecido em 2009, um dos principais nomes das artes plásticas no estado. O espaço é mantido em parceria com o Sesc-RS, responsável por sua curadoria. A mostra inaugural foi Mantenho o que disse, da fotógrafa Ana Mendes. Outras duas exposições, estiveram em cartaz durante o ano: Cultura Viraliza – Circo e Cidade, do coletivo Câmeras Passeadeiras, e Black Power, de Claudio Benevenga.

Em 2019, três exposições passaram pela Galeria Mario Quintana, na Estação Mercado: Magal de Touba, de Leonardo Savaris; O Voo da Pedra (Arqueologia do Presente), de Bebeto Alves, com participação de Antônio Augusto Bueno; Grupo TIA: 15 Anos de Teatro Ideia Ação, com autores diversos.

Outras duas exposições aconteceram no Espaço Multicultural Livros sobre Trilhos: Traços e Letras, do ColetiveArts; Laboratório-Escola de Arte Popular: arte-educação (des)construindo corpos, com autores diversos.

Apresentações e oficinas

Lançado originalmente em 2018, o projeto Estação Cultural foi retomado em julho de 2019 com ações mensais buscando democratizar o acesso à cultura e divulgar os serviços oferecidos pelo Espaço Multicultural Livros sobre Trilhos. O projeto contou com apresentações musicais de Buster Hammton e do Samba do Irajá, intervenções cênicas do Coletivo de Artes Galegos & Frangalhos e oficinas sobre a confecção de fanzines e a jornada do escritor iniciante.

Cultura e cinema para os metroviários

O Sexta Curta Trensurb é um projeto criado em 2006 que traz curtas-metragens ao público interno da empresa às sextas-feiras. Ao longo do ano, foram 29 curtas e outros audiovisuais, exibidos em 31 sessões, contabilizando um total de 921 espectadores. Três sessões contaram com a presença de convidados – diretores das produções e também integrantes do movimento ElesPorElas, que colaborou na realização de um dos audiovisuais exibidos.

Responsabilidade socioambiental

Realizada de maio a agosto, em parceria com as prefeituras dos municípios atendidos pelo metrô, a Campanha do Agasalho da Trensurb contabilizou 7,5 toneladas de material arrecadado em 2019. Realizada anualmente desde 1994, a campanha já arrecadou e distribuiu mais de 400 toneladas de donativos.

Destinado a jovens oriundos de famílias de baixa renda, o Programa Estação Educar é desenvolvido em parceria com o Senai-RS. Em 2019, 32 jovens (de um total de 40) concluíram o curso de assistente administrativo no turno inverso ao da escola. A Trensurb concede aos participantes salário mínimo-hora nacional, vale-transporte, vale-refeição e assistência odontológica.

Por meio do Programa Futuro Usuário, a Trensurb recebe jovens estudantes da rede pública, apresenta a empresa e busca sensibilizá-los para o uso correto do metrô. Em 2019, aconteceram nove ações do programa, com 281 visitantes de oito instituições. Por meio do Futuro Usuário, a Trensurb também transportou 260 estudantes de cinco instituições até a Feira do Livro de Porto Alegre.

A coleta seletiva do lixo ocorre na Trensurb desde 2007 e, além de promover o descarte adequado dos materiais dispensados na empresa, contribui para gerar renda a famílias que trabalham com reaproveitamento de materiais recicláveis. Os resíduos das estações são recolhidos por cooperativas de reciclagem atuantes nos municípios atendidos pelo metrô – exceto em Porto Alegre (incluindo também o pátio da empresa), onde o Departamento Municipal de Limpeza Urbana recolhe e distribui posteriormente às cooperativas. Em 2019, foram encaminhadas para reciclagem 13,9 toneladas de resíduos recolhidos nas estações e 5,2 toneladas coletadas no pátio da Trensurb.

Em parceria com a Cooperativa de Trabalho Socioambiental Paulo Freire, a Trensurb também promoveu ações mensais de coleta de resíduos eletrônicos de seus empregados – e, em outubro, também dos usuários do metrô, na Estação Mercado, como parte das atividades da Semana Lixo Zero Porto Alegre. Ao todo, 1,1 tonelada de resíduos eletrônicos foi encaminhada à cooperativa.

Desde 2017, a Trensurb participa do projeto Tampinha Legal, contando com pontos de coleta em todas as suas estações e no pátio da empresa. Em 2019, foram cerca de 7 toneladas de tampas coletadas nas dependências da Trensurb, gerando renda de aproximadamente R$ 13 mil às entidades que fazem parte do projeto.

Ações na Trensurb

Ao longo de 2019, a Trensurb também recebeu diversas atividades de cunho social, cultural e de promoção do bem-estar em suas dependências, promovidas por parceiros. Conheça a seguir algumas das principais.

Em fevereiro e março, estações em São Leopoldo e Novo Hamburgo, receberam ações de prevenção de infecções sexualmente transmissíveis, promovidas pela Equipe Voluntária Brasil.

No Dia da Mulher, em março, a Estação Mercado recebeu ação de promoção dos direitos da mulher, realizada pela ONG Themis.

Na semana do Dia Mundial do Livro, em abril, estações diversas receberam atividade de incentivo à leitura promovida pelo Sesi-RS.

Em maio, a Estação Novo Hamburgo recebeu ação de campanha contra a violência doméstica, iniciativa da Procuradoria Especial da Mulher da Câmara Municipal de Novo Hamburgo.

No Dia Mundial do Orgulho LGBTI, em junho, as estações Mercado, Canoas e Novo Hamburgo receberam intervenção artística alusiva à data, realizada pelos grupos Conexão Diversidade e Desobedeça.

Em outubro, as estações Mercado, Canoas e São Leopoldo receberam ação de distribuição de material gráfico do projeto Articulando Redes de Proteção, do Centro de Defesa de Direitos Humanos (CDDH).

No mesmo mês, a Trensurb participou da 5ª Semana Lixo Zero Porto Alegre, promovendo atividades de conscientização dos usuários do metrô em parceria com Senai-RS e a Cooperativa Univale. Um ponto de coleta de lixo eletrônico também foi disponibilizado na Estação Mercado em parceria com a Cooperativa Paulo Freire.

Também aconteceram ações alusivas ao Outubro Rosa – movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama – nas estações Mercado, Canoas, Mathias Velho e São Leopoldo, em parceria com a Escola Técnica Cecília Meireles e a administração municipal de São Leopoldo.

Em novembro, a Estação Mercado recebeu exposição sobre violência doméstica e feminicídio: Eva, da artista plástica Sônia Santos.

No Novembro Azul – mês de conscientização pelo combate ao câncer de próstata –, a Estação Mercado recebeu ação alusiva promovida pela Escola Técnica Cecília Meireles.

Em alusão ao Dia Mundial de Luta contra a Aids, as estações Novo Hamburgo e São Leopoldo receberam ações de conscientização quanto à prevenção da doença, em novembro, numa iniciativa da Equipe Voluntária Brasil.

Em novembro e dezembro, estações diversas receberam ações de aferição de pressão arterial realizadas pela escola profissional Unipacs.

Em dezembro, a Trensurb recebeu mais uma edição do Samba no Trem, atividade comemorativa ao Dia Nacional do Samba que teve participação do Samba do Irajá.

Também em dezembro, a Estação Mercado recebeu ação de promoção dos direitos das domésticas, promovida pela ONG Themis.

Como parte da programação do projeto Natal Alegre 2019, a Estação Mercado recebeu o Flash Mob Natal em Dança e uma apresentação do Duo Sax.

 

Entrevista: a expressão dos corpos na fotografia de Fernando Espinosa

Até 30 de março, está em cartaz na Galeria Xico Stockinger, na Estação Rodoviária da Trensurb, a mostra O Corpo Expressivo, do fotógrafo Fernando Espinosa. A exposição tem como inspiração as milhões de conotações que o corpo possui quando quer se expressar: afetos, dores, alegrias e amores, entre outros sentimentos. Mantida pela Trensurb em parceria com o Sesc-RS, a Galeria Xico Stockinger fica no túnel de acesso à plataforma da Estação Rodoviária do metrô. Ela pode ser acessada durante o horário de abertura da estação, das 5h às 23h20, mediante pagamento da tarifa unitária do metrô, de R$ 4,20.

Fernando Espinosa é um fotógrafo porto-alegrense, especializado em fotografia de cena. Médico veterinário, formado em 2007 pela UFRGS, descobriu sua vocação ao registrar apresentações de sua esposa e sua sogra, ambas bailarinas. Fascinado pela união das artes, aos poucos fez desse hobby uma profissão, na qual atua desde 2015.

Quer saber mais sobre a exposição e o trabalho dele? Confira a seguir nossa entrevista com o fotógrafo.

Leia mais →

Disposta a fazer o bem

Isabel Cristina Padilha, 62 anos, natural de Porto Alegre e moradora da Zona Sul da capital, atua há seis anos como operadora de trens na Trensurb. Com seu jeito divertido, a metroviária criou muitos laços de amizade dentro da empresa e, por onde passa, é alvo de sorrisos e brincadeiras. Há 32 anos na Trensurb, ela trabalhou como agente metroviária nas estações durante 26 anos. O que mais a animava na função era o contato com o público. Agora, sente-se feliz ao pilotar o trem e prestar serviço às pessoas. “Na linha de bloqueio, as pessoas virem conversar comigo, ou pilotar o trem e avistar alguém, é algo que marca”, comenta.

Leia mais →

Engenheiro, mergulhador e barista

Guilherme Souza Barbosa, 34 anos, é natural e morador de Porto Alegre. Formado em engenharia civil, atua no Setor de Manutenção Predial e Equipamentos (Semap) da Trensurb. Há oito anos na empresa, Guilherme ingressou na Trensurb um ano após concluir sua graduação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. No início, trabalhou no Setor de Planejamento e Projetos de Mobilidade Urbana (Semob). Depois, no Centro de Desenvolvimento Operacional Aplicado à Tecnologia Aeromóvel (Cedaer) e no Setor de Projetos e Obras Civis (Sepro). Atualmente no Semap, o engenheiro atua na gestão de contratos, medições, laudos e acompanhamento de serviços de manutenção. “Acredito que a parte boa dessa função é a de nunca cair numa rotina. É divertido, é bem diferente do que eu vinha acostumado na área de projeto”, afirma.

Leia mais →